Capinaremos FC

Capinaremos FC – #ForçaChape

IMG-20160103-WA0035

Salve, galera.

É com muito pesar que hoje o Capina, não só a equipe do FC mas como todos os colunistas se juntam pra fazer uma homenagem a uma triste parte de uma fantástica história do futebol nacional.

A equipe aqui do Capina, junto ao grupo do Facebook, decidiu se juntar pra fazer um dos maiores posts comunitários que o blog provavelmente já viu. O post irá sendo atualizado ao decorrer do dia.

 

chape

 

Pra quem não viu, se isolou do mundo hoje pela manhã, infelizmente o avião que transportava a comissão e equipe da Chapecoense (além de toda a equipe jornalística de cobertura) se acidentou perto de Medellín, na Colômbia, onde o clube jogaria a primeira partida da final da Copa Sulamericana contra o time da casa, o Atlético Nacional. Dentre os 81 a bordo, 72 passageiros e 9 tripulantes, até o momento de publicação foram confirmados, infelizmente, 76 mortos e 5 sobreviventes.

-/-

Thiago Padilha – CapinaLemos

A dor imensa que estamos sentindo, por pessoas que não conhecemos pessoalmente mostra que a humanidade que o futebol nos traz ainda é maior que todo o mal que acontece nos seus bastidores.

Hoje o futebol chora em verde e branco por um time que fez uma jornada mítica, que se abraçou com sua cidade e sua torcida e lembrou a todo o Brasil o que realmente significa o futebol.

O sonho foi interrompido de maneira cruel, e independente do desfecho da história nada será como antes.

A família e amigos todo o conforto e que tenham paz para seguir em diante, pois era isso que a Chape fazia dia após dia no futebol.

#somoschape

-/-

Luci – CapinaLemos

É até difícil entender o peso de uma tragédia dessas proporções, por ser algo sem precedentes. É o tipo de acontecimento que deixa uma marca indelével na gente, que dói no coração e que faz a gente pensar na efemeridade da vida.

Só consigo pensar que é meio injusto o sol nascer e a vida continuar pra quem ficou, enquanto o sonho do Chape foi interrompido tão bruscamente e de forma tão violenta. Muita gente não pode dizer que isso os afeta pessoalmente, mas deixa ainda assim uma mensagem de que qualquer história, por mais linda que seja, pode chegar ao fim a qualquer momento e nos cabe viver cada segundo sem medo de arrependimentos.

Deixo aqui meus mais sinceros sentimentos à família e amigos dos envolvidos e a Chapecó, de todo o coração.

-/-

Andrea Silva – Capinaremos 2.0

 

-/-

Marcos Maciel – Capinaremos 2.0

Eu sinto uma coisa ao olhar para o oeste

E meu espírito chora por estar indo embora

Em meus pensamentos, eu vi anéis de fumaça atravessando as árvores

E as vozes daqueles que ficam olhando

Isso me faz pensar

Realmente me faz pensar

E sussurram que em breve, se todos entoarmos a canção

Então o flautista nos levará à razão

E haverá um novo dia para aqueles que resistirem

E a floresta irá ecoar com risadas

-/-

Ruan Ro7 – Animaremos

Caramba! Não sei o que dizer, não há palavras que amenizem essa tragédia.

Por mais que tente relevar a “mais uma tragédia” não sou tão insensível quanto penso/quero ser, viver machuca, sentir ainda mais, mas essa é a essência de nossa existência e que por n razões buscamos prolongar e não cabe em nossa limitada a razão entender seu findar.

Por momentos atônito e digerindo a informação, depois com a ilusão de aceitar a tragédia, me vejo então em meio a leituras dos fatos em.meio a descrição dos demais colunista e em meio a proposta surge um comentário aparentemente despropositado de “juntar os cacos” para o post da coluna e logo em seguida a resposta: Porra Caio !

Dei uma gargalhada enorme como a tempos não fiz, num misto de humor negro e insensibilidade pensei eu no 1° minuto após, mas logo percebi ser o desabafo da angústia que tentei esconder de mim mesmo.

Continuo a ler e a Sra. Angústia, minha acompanhante que não sei lidar retorna pra dentro de mim.

Resta ao tempo aplacar e aliviar essa dor que não se acaba.

Meu sincero pesar a todos.

-/-

Nelson “Morteiro” Monteiro – Braço direito da chefia

Eu, como catarinense, torcedor do Avaí, conheço a Chape da melhor e pior forma possível, ganhando do nosso time em algumas oportunidades, porém, conheço a Chapecoense como o time que projeta o nossa Santa Catarina pro Brasil, e recentemente pra toda a América Latina. Um time que é unanimidade onde passa, um time pequeno, porém, que angariou muitos simpatizantes por todo o Brasil por ser o Terror, ChapeTerror, time surpreendente e que este ano nos surpreende chegando à final da Sulamericana, um torneio internacional, o primeiro time de nosso estado neste patamar, Chapecoense é Santa Catarina, melhor, Chapecoense é Brasil, e infelizmente ganhou o mundo da maneira mais trágica.

O time da ascensão, da série D à final da Sulamericana em alguns anos, o time sensação por ser unanimidade entre os Brasileiros.

Estamos de luto, por todo um time, por todo um sonho, por pessoas que estavam fazendo seu trabalho e vivendo o sonho de representar o Brasil, entre eles posso destacar pessoas da qual trago muita admiração: Cléber Santana, jogou pelo Atlético de Madrid, jogador atualmente da Chapecoense, passou pelo Avaí time que torço e nos presenteou com um Campeonato Catarinense. Bruno Rangel, artilheiro nato, homem gol e craque da Chapecoense, Bruno Mauri Silva, técnico de externas da RBS TV, coincidentemente formado no IFSC-SJ no mesmo lugar e mesma época que eu.

Eu, Nelson, ou Morteiro como comumente me chamam, declaro minhas condolências à todos os envolvidos, entre parentes, amigos ou apenas simpatizantes como eu.

Nada é maior que uma vida perdida, mas tenho certeza que todos dentro daquele avião estavam à favor de um propósito comum, projetar a Chapecoense pro mundo, Chape é gigante.

-/-

Klevin Carvalho – Cozinha do Gordo

O impacto de uma tragédia deste tamanho é devastador para o mundo independente da situação e os atingidos. Mas medindo as circunstâncias não posso negar que este senhor senil chamado destino escolheu a dedo, de forma cruel e orquestrada, todos os ingredientes necessários pra tornar a tragédia de hoje um dos eventos mais impactantes que o Brasileiro irá remoer com gosto de “pq?” durante anos. Nunca a frase “o futebol é uma caixinha de surpresas” fez tanto sentido e não foi uma surpresa agradável. Este ano a Chapeterror trouxe pro brasileiro um sentimento que não se via desde o São Caetano/Paysandu, onde Davi dava na cara do Golias com frequência e a gente tava lá pra bater palma. O mundo chora e a entidade Futebol está de joelhos, não a toa, pois o golpe foi duro. Meus sentimentos às famílias e que a Chape tenha todo apoio pra se reerguer e continuar sua caminhada de sucesso.

-/-

Vinicius Tripode – Capinaremos FC

Acordei e lá estava a notícia na minha cara, na tela do celular: Avião com a delegação da Chapecoense caiu. Me certifiquei estar acordado, não podia acreditar. Não era um pesadelo. Tinha mesmo acontecido.
A Chape, ChapeTerror, Verdão do Oeste, tinha o carinho do Brasil todo, um time pequeno que em 2009 estava na Série D e agora em 2016 estava indo rumo a sua primeira final de uma competição internacional.
Me certifiquei, novamente, se era um pesadelo. Não era. Informações desencontradas, ninguém sabia quantas pessoas tinham sobrevivido, ninguém sabia de nada. Frio, aqui em Dublin estava frio, mas lá nos Andes onde, possivelmente, tinha alguns sobreviventes, também estava. E lá estava chovendo.
De repente uma esperança, alguém chegou com vida ao hospital: Alan Ruschel. A esperança de um milagre continuava, mas não durou muito.
Em menos de uma hora o veredito: 71 mortos, 6 sobreviventes e 4 pessoas que por algum truque do destino não pegaram o voo.
Passei o dia todo triste sabendo que a hora de escrever sobre o ocorrido chegaria. Refleti. Segurei o choro, dei a notícia para algumas pessoas aqui em Dublin, brasileiros ou não. Todos ficaram sentidos.
É nessas tragédias que vemos o quanto somos vulneráveis e que tudo pode mudar em 1 segundo. O que era vivo pode estar morto.
Hoje é um dia de luto para o futebol mundial.
Meus mais sinceros sentimentos a todos que, de uma forma ou outra, são Chapecoense hoje.

-/-

Arthur Campos – Página do Capina no Facebook

Infelizmente nesses momentos não há palavras nem qualquer outro tipo de conforto.
Que todos sejam lembrados por suas conquistas, por terem conseguido nos últimos 5 anos o que alguns times não conseguiram em 100. Nosso respeito aos familiares e boas vibrações para que tudo seja calmo e gradativo a partir de agora, porque doloroso não vai deixar de ser.

-/-

Bruna Borniatti – CapinaScreen

O brasileiro respira futebol. Nós amamos cada detalhe desse esporte que trouxe tantas alegrias para o nosso país, e o Chapecoense nos lembrou desse amor que temos pelo futebol ao nos levar aguerridamente pra final da Sul Americana. Todos torcemos unanimemente para que o Chape viesse com a taça, cada um daqueles jogadores é o que acreditamos ter de mais puro no futebol. Infelizmente o país chora e sente a perda dessa time, que prometia atrapalhar, e muito, a vida dos times grandes. Cada morte viverá no nosso amor por esse esporte, obrigado Chapecoense por nos levar tão longe e nos fazer tão felizes, ainda que por pouco tempo.

-/-

Sandro Sanfelice – Capinaremos

É triste, é injusto, é cruel, é impensável… Um time com uma trajetória praticamente impecável, um verdadeiro exemplo de organização técnica e tática, uma ascensão quase nunca antes vista na história do futebol nacional, quem sabe até mundial. Não era um clube de um grande magnata do petróleo com bilhões de euros investidos e várias estrelas contratadas, era um time de uma cidade pequena, com uma folha de pagamento humilde, mas extremamente organizado e com uma torcida apaixonada.

Não é fácil aceitar, vai demorar para a ficha cair e nunca sairá da nossa memória. Tantos talentos, não só dentro do campo, mas também uma excelente comissão técnica, dirigentes, jornalistas, repórteres, narradores, comentaristas… Todos deixarão saudade.

É nesse momento que percebemos que o futebol não é apenas um jogo, não é apenas coisa de alguns doentes que acompanham os campeonatos. A paixão pelo futebol transcende tudo isso, ela nos enlouquece, faz nossas emoções ficarem a flor da pele, muitas vezes perdemos a razão por causa dela… Mas também nos une, nos aproxima, nos ensina.

Acredito que nesses momentos trágicos aprendemos que não podemos deixar para depois para vivermos, a vida é muito frágil e não te dá margem para arrependimentos. Então vá e viva, faça o que precisa ser feito, tome uma atitude, ame, proteja quem você ama, não fique com medo, não deixe para amanhã, porque o amanhã pode nem chegar.

-/-

Leone “Leôncio” – Capinaremos Associated

Mesmo aqueles que como eu não acompanham os campeonatos do futebol, não podem negar a dimensão da tragédia. Além das vidas perdidas, são pais, irmãos, tios de pessoas como nós. Pais, irmão e tios que saíram de suas cidades, saíram do futebol de várzea e arrebentaram com todos os grandes. Me lembro de uma derrota que meu time, Atlético-MG, sofreu para o Chapecoense no campeonato brasileiro de 2009 ou 2010 (como disse, não acompanho futebol) e logo começaram as chacotas por perder pra um time então desconhecido. Naqueles dias não sabíamos que estávamos vendo uma lenda nascer. Que as famílias encontrem conforto, e que a história do Chape não seja esquecida.

-/-

Eu, da mesma forma que todo mundo contribuiu pro post, tô tão chocado, chateado, achando que foi uma brincadeira de mau gosto por parte de quem começou a dar as notícias. Parece não ser possível que isso realmente tenha acontecido.

O futebol mundial infelizmente ganha uma história extremamente triste, que pro bem de todos poderia ter sido bem melhor se fosse pra contar como a Chape foi guerreira, em sua segunda participação internacional bateu equipes famosas fora de suas fronteiras, como o Independiente, o Junior Barranquilla, San Lorenzo, chegando a final e, por que não, o Atlético Nacional, pra poder se sagrar campeã.

Hoje é um exemplo pra mostrar que futebol não é apenas 22 pessoas que só tão ali pelo dinheiro, que todo mundo na torcida é “””tonto””” por gastar dinheiro enquanto os que jogam não tão nem aí pra eles, que jornalistas só falam, falam e não falam nada. Pra todos vocês que pensam assim, olhem pra hoje. Olhem pra todo mundo que comentou algo sobre a infelicidade de hoje. Olhem pros torcedores e a paixão que saía (e tenho certeza que sairá), a ligação deles com o clube, com a equipe, com o esporte. Hoje a rivalidade diminui. Hoje não interessa o resultado do final de semana. As vítimas não eram só jogadores, só jornalistas, só comissão; eram familiares, eram profissionais.

Hoje fica o exemplo: não é só futebol. Fica a condolência a todos os parentes, colegas, conhecidos dos envolvidos, ao clube e aos veículos de imprensa que tinham representantes no vôo.

E lembrando a trajetória recente do time, dá pra ter certeza que esse acidente não vai definir a Chape, ela é maior que isso. Voa Chape, você ainda vai longe. #ForçaChape

avião chape

 

Post publicado às 12h30 (29/11/16). Última edição: 21h57 (29/11/2016).

Comentários

Populares

Topo