Animaremos

Animaremos – ULTRAMAN [Hikaji/Mangá]

Já parou pra pensar que talvez possam existir aliens entre nós? E se eles vivessem em uma cidade só de imigrantes alienígenas aqui na Terra? É, Ultraman nos mostra que o mundo é bem maior do que a gente imagina.


E aí pessoal, tudo bem com vocês? Feliz Natal atrasado pra vocês, espero que estejam cheios dos presentes aí. O Animaremos atrasou um pouco por motivos de, bom, vocês não ligam para os motivos mesmo, vamos para análise porque hoje é dia de…

Ultraman!

História

Na década de 60 estreava uma série de tokusatsu chamada Ultraman, onde um alienígena se funde com Shin Hayata, um Oficial da Patrulha Científica. Hayata então passa a se transformar em Ultraman e combater diversos monstros invasores. Porém, em sua última batalha, Ultraman se separa de Hayata e retorna a seu planeta natal. A Terra então fica em paz, sem ser incomodada. Ou é o que se acreditava.

40 anos depois, o filho de Shin, Shinjiro, apresenta poderes semelhantes ao pai, mas os mantém em segredo. Um dia, Shinjiro é envolvido em uma batalha com um ser desconhecido. Durante a batalha descobre que seu pai têm lutado como Ultraman utilizando uma armadura, mas é gravemente ferido durante a luta. Shinjiro então assume a armadura e luta contra o bixão.

Análise

O mangá, publicado no Brasil pela editora JBC desde setembro de 2015, conta atualmente com 7 volumes. A história fica por conta de Eichi Shimizu, que consegue trazer de volta os fãs da série original pela nostalgia, dada a quantidade de referências citadas durante a história. Porém, isto não quer dizer que não consiga cativar novos leitores, já que todas as referências são inseridas dentro de um contexto na série e explicadas, sem que sejam deixadas pontas soltas sem explicação.

A história é um pouco lenta, se arrastando em alguns momentos devido aos confrontos interiores de Shinjiiro, que reluta em assumir o papel de Ultraman (e acaba atrasando todo rolê). A meu ver, todo este dilema de ser ou não ser o Ultraman acaba por subestimar um garoto de aproximadamente 16 anos, poxa, quem nesta idade não iria querer vestir uma armadura e sair dando um pau em alienígenas infratores por aí?

Já a arte, desenhada por Tomohiro Shimoguchi, no geral é bem simplória, priorizando o cenário e as cenas de ação. Todos os volumes contam com páginas coloridas, que são bem trabalhadas.

O mangá é publicado no padrão menor da JBC, o que é bacana por ser compacto. O problema é a gramatura do papel escolhido, que deixa transparecer a página de trás, não chega realmente a atrapalhar a leitura, mas é meio incômodo nos momentos onde há poucos desenhos na página.

Considerações técnicas  

  • Autores: Eiichi Shimizu e Tomohiro Shimoguchi
  • Status: em publicação
  • Quantidade de volumes: 7 no momento desta publicação (ainda em publicação no Japão)
  • Formato: 12 x 18 cm
  • Número de páginas: cerca de 190 + 16 coloridas
  • Preço: R$ 14,90
  • Periodicidade: bimestral
  • Classificação etária: 14 anos

Escrito por: Hikaji, jogador noob de LoL, Hearthstone e Pokémon. Futuro psicólogo, acredita que Chrono Trigger seja o melhor jogo do mundo. Adora robôs gigantes, gunplas, patins e a noiva que é a coisa mais linda do mundo. Colecionava mangás, mas como a verba está curta e agora aceita doações. Sonha em ficar rico e abrir um fliperama.

Dúvidas e sugestões: gustavo_hikaji@hotmail.com

Não se esqueçam de curtir nossa página no Facebook: /animaremos

Comentários

Populares

Topo