Pouparemos

Pouparemos: Começando 2017 – O método do pote

 

Faaala pessoal que está para as dividas como o Titanic está para o oceano, 2016 quebrou muita gente e com certeza não foi por culpa simplesmente do ano e da crise. Já pensou que alegria se em 2017 você conseguisse ajeitar todas suas contas e chegasse no Natal sem apertos para  comprar os presentes pra toda família (excluindo o tio do pavê)? Ou que tal programar uma viagem para algum lugar que você sempre quis ir mas não está conseguindo conciliar com os gastos mensais? Se você acabou de pensar “bom se fosse possível” ou qualquer coisa similar, seus problemas acabaram: esse post é pra você!

Quem não?

Poupar pode ser uma tarefa difícil e muitas vezes ingrata durante o caminho. As dificuldades vão desde começar a separar todas as moedas do final do dia num pote, até se habituar a anotar todas as suas despesas. A tentação é grande, a vontade de gastar com algo que não precisa é forte e a tendência desses instintos tomarem frente é inevitável. A verdade é que ninguém é de ferro e ninguém precisa deixar de fazer as coisas que gosta pra poupar. Se você conseguir organizar seus gastos e suas metas, o que no começo (não vou mentir) é chato demais, você vai acabar dando risada e se divertindo quando a situação toda inverter e você não for pego mais de surpresa por conta nenhuma. E, se você criar um poder de negociação consigo mesmo, a ponto de decidir sacrificar uma compra em prol do pagamento de uma dívida, parabéns, você aprendeu a negociar com a pessoa mais complicada de lidar: você mesmo. As palavras-chaves do negócio todo são organizar e controlar. Por isso hoje vou contar como funciona o método do pote pra começar com a brincadeira.

O método milenar do pote consiste em separar uma meta, uma quantia de dinheiro, em um pote.

“Porra, fácil hein!?”

“I’ll bow down and call you master.”

Realmente, mas se fosse tão fácil todo mundo faria. Além disso, como hoje dinheiro não é só em notas, fica um tanto mais complicado colocar esse dinheiro do banco em um pote digital. Sendo assim, você pode começar organizando o seu dinheiro físico em um pote para treinar e depois avançamos para as técnicas de Pai Mei do Pouparemos.

Como exemplo, vamos escolher uma meta a curto prazo, no máximo 3 meses: comprar presente pro aniversário da mãe, beber tudo que puder no carnaval, fazer a centésima tatuagem, viajar no feriado da Páscoa, ou qualquer outra coisa que sempre chega encima da hora e sempre ferra com o orçamento. Se você precisar de 200 reais pra essa meta daqui 3 meses, você precisaria de aproximadamente 66 reais por mês para chegar lá de boa, sem sustos e fazer o que quer que seja. Pensando em porções menores, você precisaria de aproximadamente 16 reais por semana. Soou mais fácil? A tendência é ser mais simples lidar com valores menores de tempo e de dinheiro, porque é difícil controlar o que vai ser feito daqui um mês sendo que mal sabemos qual vai ser a janta de hoje.

O ideal é esse período do cálculo ser dividido conforme a frequência da entrada da sua renda. Se você, assim como eu e boa parte da população brasileira, recebe mensalmente seu salário, divida o valor final pela quantidade de meses até o prazo, se for semanalmente, por semana, e por aí vai. Reserve esse dinheiro no inicio do período, para não sentir tentação de gastar com outras coisas e reforce sempre que quiser. Como sugestão, anote de algum jeito o valor que tem dentro do pote e atualize a cada depósito, pra saber se está próximo da meta. Como eu disse antes, vai muito do seu controle ver esse dinheiro acumulando e não gastar com mais nada, mas tenho certeza que você consegue sem precisar colar a tampa do pote ou comprar um porquinho de porcelana.

Se você identificou o filme, não vale chorar

Usando esse exemplo como base, você pode começar a aplicar essa metodologia pra tudo e, se você pegar gosto por isso, pode começar a fazer vários potes ou envelopes: destinando uma quantia para as festas de final de ano, presentes para todos da família no Natal, bebedeiras homéricas uma vez por mês, doações para abrigos de animais e/ou emergências. As possibilidades são infinitas e essa é apenas uma técnica das que serão mostradas aqui. Sabe-se que guardar dinheiro parado em casa não é bom negócio devido à inflação, mas pra quem está começando, qualquer passo dado em direção à organização é importante. Mais adiante esses potes virarão aplicações em renda fixa, como CDB, LCI, LCA, LC, Tesouro Direto e outros tantos. Mas isso fica pra outro Pouparemos.

Sem mais, espero que em 2017 seja o ano em que suas finanças se alinhem com seus objetivos. O Pouparemos ta aí pra ajudar 😉

 

Comentários

Populares

Topo