CapinaLemos

CapinaLemos – O Menino do Pijama Listrado

Oi, gente! Hoje é dia de indicação de livro feels! Pega seu lencinho de papel e vem chorar comigo!

Não lembro exatamente como me interessei pelo livro O Menino do Pijama Listrado anos atrás. Talvez tenha sido por achar a capa muito bonita, ela é texturizada, dando a sensação de realmente ser feita de um tecido grosso. Ou talvez tenha sido pelas opiniões da contracapa, que classificavam o livro como maravilhoso, intenso e perturbador.

O fato é que a orelha da edição que comprei não traz a sinopse ou muitas informações sobre o enredo, nos contando apenas que acompanharemos a jornada de Bruno, um menino de nove anos, até que ele chegue à uma cerca.

Essa falta de informações se revelou uma grata surpresa.

O autor, John Boyne é irlandês e tem 14 livros publicados, 8 deles lançados no Brasil pela editora Companhia das Letras, sendo O Menino do Pijama Listrado o primeiro deles.

Acho que a grande sacada dessa obra é justamente ir descobrindo a história enquanto a lê, por isso não pretendo falar muito do enredo. O que posso dizer sem dar spoiler é que Bruno é um menino alemão que, por conta do trabalho do pai precisa se mudar com a família de Berlim para uma nova cidade, onde a trama se desenrola.

O livro é curto, de leitura rápida e acho que o grande mérito do autor é nos fazer realmente vivenciar a perspectiva de uma criança, quando, por exemplo, já no capítulo inicial, Bruno se depara com a empregada da família arrumando as malas para ele e o seu primeiro pensamento é que está sendo expulso de casa por ter aprontado alguma coisa (e pelo que me lembro da minha infância eu era dramática e intensa assim – segundo algumas pessoas sou até hoje, mas não vem ao caso! rs), ou por exemplo, com palavras que ele tem dificuldade em pronunciar e que mantiveram “erradas” na tradução, de forma que só com o tempo entendemos o que ele queria dizer (quando por exemplo, fala que o Fúria deve estar chateado com o pai pra tê-los mandado pra longe e um pouco depois sacamos que está falando do Führer). Outra característica marcante é a constante reafirmação pelo personagem do que ele considera importante e o quanto seus sentimentos são intensos, como quando se refere à Karl, Daniel e Martin, que Bruno considera seus três melhores amigos da vida toda.

Aos poucos, vamos desvendando a história através das informações limitadas que Bruno recebe, apropriadas à sua idade, e com os fragmentos obtidos conseguimos ter um entendimento completo do que está acontecendo, ainda que o personagem principal não compreenda o que se passa à sua volta.

Embora tenha personagens infantis, O Menino do Pijama Listrado definitivamente não é um livro infantil. É um livro tocante, maduro, extremamente bem escrito, com uma trama muito bonita, apesar de triste.

E se eu puder te dar um conselho, caso se interesse em lê-lo, seria: ou peça emprestado pra um amigo que o tenha, ou compre numa livraria física ou ainda, se for comprar online, não leia nada a respeito, clique apenas no botão Comprar e espere chegar na sua casa. Em resumo, não busque mais informações sobre a história. Isso porque numa pesquisa rápida que fiz no google, vi que todos os sites acabam revelando demais sobre o enredo ao tentar redigir uma sinopse.

Não perca o prazer de vivenciar essa experiência junto com Bruno.

Existe uma adaptação cinematográfica disponível no Netflix com o Asa Butterfield (o ator que fez Hugo Cabret e seria o novo Homem Aranha, mas falou demais antes do tempo e foi substituído pelo Tom Holland) no papel de Bruno que também é muito boa e vale a pena ser assistida!

Ana Spinardi

Título: O Menino do Pijama Listrado
Autor: John Boyne
Tradutor: Augusto Pacheco Calil
Páginas: 192
Edição:
Ano: 2007
Editora: Companhia das Letras
Literatura Irlandesa, Romance

Comentários

Populares

Topo