Imaginaremos

Imaginaremos #10: Você é feliz, cidadão?

Seja bem-vindo ao Imaginaremos, a coluna-… Seja bem vindo, Cidadão.

Posso ajudar em alguma coisa?
Claro. Você poderia me contar como funciona este jogo.

Desculpe, cidadão. Essas informações não estão disponíveis no momento.
O que você quer dizer com não estão disponíveis?

Você ainda não é um Agente Atirador. O que significa que o seu nível de segurança é infravermelho. As regras são de nível de segurança vermelho.Você não está liberado para conhecê-las. A seu dispor.
Hã? A maioria dos jogos faz questão de nos ensinar as regras.

PARANÓIA, não. Aqui você não sabe quem são seus amigos. Nem sabe quem são seus inimigos. Você não sabe como funciona seu equipamento. Você não conhece as regras. A única coisa que você sabe é que todos estão atrás de você. Fique alerta! Não confie em ninguém!Mantenha seu laser à mão! Ignorância e medo; medo e ignorância. Este é nosso lema.
A página inicial diz algo sobre um computador.

O Computador é seu amigo! Confie no Computador. Em PARANÓIA, você representará um Agente Atirador a serviço do Computador. Você é um agente de confiança do computador.

Assim começa Paranóia. Lançado em 1984, nos Estados Unidos, revolucionou um mercado saturado de masmorras intermináveis e dragões malignos. A West End Games inovou e lançou um sistema simples e um cenário pra lá de maluco. Escrito e desenhado por Greg Costikyan (que também escreveu Toon e Star Wars rpg), Dan Gelber, e Eric Goldberg, ganhando prêmio de melhor interpretação em 1984, e em 2007 chegando ao Hall da Fama.

Cidadão. Explique como funciona este adorável e maravilhoso RPG. Isto é uma ordem. Não obedecer o computador é considerado traição. Traição é punível com morte.

Ao contrário da maioria dos outros RPGs, aqui os personagens dificilmente cooperarão entre si. Isso por que o sistema estimula os jogadores a matarem e incriminarem seus personagens, com a missão apenas servindo de um pano de fundo para toda a confusão generalizada. Aqui, os jogadores vivem no Complexo Alfa, uma Utopia criada pelo Grande Computador. Essa máquina paranóica, esquizofrênica e extremamente divertida criou uma sociedade perfeita, porém vive com medo de possíveis invasões de comunistas, mutantes e vê traidores em toda parte.

Cidadão. Exaltar os defeitos inexistentes do Grande Computador é Alta traição. Alta traição é punível com morte. Por favor, aguarde para ser vaporizado. Um clone será deslocado até sua última atualização local.


Como dizia, antes de ser vaporizado e substituído, o jogo traz em si inúmeras referencias e referenciou gerações depois. Se você notar qualquer semelhança entre o Grande Computador e a Glados, de PORTAL, não é mera coincidência. O Computador acredita que os “comunistas” infiltraram seus agentes entre a população. São eles os mutantes, falhas secretas imperfeitas (e poderosas) demais para existir (qualquer comparativo com x-men e toda a onda dos quadrinhos na época não é mera coincidência); e as sociedades secretas, entidades clandestinas não autorizadas que pregam a mais loucas filosofias de vida – desde o ódio contra todas as máquinas (Olá Sarah Connor) até o saudosismo por coisas importantes do passado (as orelhas do Mickey, por exemplo)


Em sua infinita sabedoria, o computador criou uma unidade especial conhecida como Agentes Atiradores para encontrar e destruir os traidores onde quer que estejam. O grande problema é que todos os personagens são mutantes e pertencem a uma sociedade secreta, sendo portanto traidores. Quando algum personagem for desmascarado como traidor, os outros devem (alegremente) executá-lo. A melhor forma de garantir sua sobrevivência é expor os demais personagens e conseguir executa-los antes que façam o mesmo com você. Todos os habitantes do Complexo Alfa são criados em bancos de clones, compondo famílias de seis clones totalmente idênticos. Ou seja, sempre que seu personagem morrer você terá um “backup” disponível como a mesma personalidade e habilidades, porém sem as memórias do último. Qualquer ato pode ser considerado como uma traição ao Computador, desde esquecer de amarrar os sapatos até fazer propaganda comunista . Como a pena para traição é a execução sumária, e todos tem motivos para dedurar-se uns aos outros,esse clones costumam ser usados em pouco tempo.


O jogo usa um sistema de “combate dramático” que prioriza a rapidez e o humor. A maioria dos combates é mortal, envolvendo lasers, granadas e às vezes explosões nucleares. Normalmente a pancadaria é tão confusa que você dificilmente consegue identificar seu inimigo, pois todos estão atirando ao mesmo tempo e esse é o momento ideal executar discretamente quaisquer outros personagens que estiverem ameaçando você.



Como um jogo focado no humor, Paranóia é ideal para relaxar de campanhas longas e dos jogos “sérios”. As partidas são rápidas e engraçadas. Você será estraçalhado, picotado, alvejado, pisoteado, ferido, castrado, desmembrado, dilacerado em pequenos cubos e finalmente vaporizado mas mesmo assim irá se divertir como nunca.


Como este é um jogo humorístico, não é muito recomendado para campanhas longas, por isso mesmo não possui muitas regras, bastando apenas um dado de 20 faces para se resolver as ações. As regras são bem poucas e de fácil aprendizado, ficando a maior parte da criação das regras para o Mestre, afinal ele é o único com Nível de Segurança Ultravioleta, por isso não pense em desagradá-lo, lembre-se sempre, o Mestre é seu amigo, pois ele serve ao Computador, e você também, não é mesmo cidadão?

Este é um jogo que diverte pela sua simplicidade como pela ideia. Ideal para um churrasco regado a cerveja e amigos. Tenho certeza que muitos RPGistas antigos e saudosistas passaram horas se divertindo e o jogo vale como dica para os mais novos que não conheciam o sistema. Lembre-se, O Computador está observando. Compartilhe a palavra…


Cá entre nós… Acho que esse jogo nem é tudo isso…

Claro que é tudo isso, cidadão. O Computador é que disse. O Computador é seu amigo. Como você pode duvidar do Computador? Duvidar do Computador é traição.

Não, é claro que não. Se o Computador disse que será divertido,então com certeza vai ser divertido. Somente um Traidor Comunista Mutante pensaria de outra forma.

Excelente cidadão. Você está começando a pegar o jeito. Você acaba de ser promovido ao nível de segurança vermelho.


Por Murilo Lamegal, Designer, empresário meio amalucado, uma preguiça humanóide e nerd em tempo integral.

Comentários

Populares

Topo