Criptaremos

Criptaremos – Sonâmbulismo

Boa noite amigos trevosos

 

Hoje é dia de Criptaremos e essa é uma história muito legal, pois é baseada em fatos reais (sim é baseada em uma coisa que RE-AL-MEN-TE aconteceu) Mas não se engane eu acrescentei umas coisinhas mais para dar um tchan.

 

“A noite chega e é sempre mais escura pouco antes do amanhecer, isso é, se você sobreviver até lá.”

Abra sua mente, apague as luzes e se tranque no quarto, pois agora é a hora do terror.

 

SONAMBULISMO

23h15, Monalisa assim como em todas as outras noites põe seu filho Robertinho para dormir, o cobre com a coberta e ponhe em cima dele seu boneco do homem-aranha de pelúcia Robertinho sempre pede para colocar ele lá, logo após dá um beijo nele e vai para a cama. No quarto está seu marido Evandro, com seu par de óculos ele esta dentado lendo um livro há algum tempo.

-Ele demorou mais de uma hora para dormir hoje….só espero que agora eu consiga dormir a noite inteira…sem sustos!

Evandro fecha o livro olha por cima das lentes para a esposa e sorrindo diz – Amor, sonambulismo é comum não há porque ter medo.

Monalisa de soslaio retruca -Você fala isso porquê não é você que acorda quase toda a noite com seu filho parado ao lado da sua cama te encarando!

Evandro sorri, agarra a mulher e começa a beijá-la no pescoço.

– Sai, sai, sai, nem vem eu estou com dor de cabeça – Diz Monalisa enquanto empurra a cabeça de Evandro para longe.

Evandro desiste da investida amorosa faz cara feia, se vira, ajeita-se na cama e apaga a luz. – Boa noite então.

– Boa noite amor também te amo – alfineta Monalisa antes de se ajeitar e deitar também.

Na madrugada Monalisa ainda deitada, abre os olhos em sua frente um vulto negro junto à cama. Monalisa se assusta, mas logo se acalma ao ver que em sua frente está seu filho Robertinho, apesar daquele fato estar ocorrendo há algumas semanas ela ainda não se acostumou.

Monalisa se levanta – Vamos filho, vamos pra cama – diz enquanto empurra Robertinho pela cabeça em direção ao quarto dele, ela está sonolenta então anda de olhos fechados pois o sono ainda é grande. Durante o caminho fim do corredor, antes do quarto de Robertinho ela resmunga – Até quando isso vai acontecer – logo após leva a mão até a cabeça do filho novamente para guiá-lo até a cama, mas não consegue encontrá-la.

Monalisa tateia o ar mas não encontra seu filho, ela acha estranho e acende a luz do quarto, olha em volta mas não acha Robertinho, ela entra no quarto e vê na cama Robertinho dormindo profundamente, seu homem aranha de pelúcia continua lá, no mesmo lugar que ela havia deixado.

 

Comentários

Populares

Topo