CapinaLemos

CapinaLemos – Ilha do Medo

Olar, caros capinaleitores!

Nesta edição nós vamos falar do livro Ilha do Medo de Dennis Lehane, que foi base pro filme do Scorsese.

Enquanto muitas das pessoas a quem eu perguntei já tiveram a chance de ver esse filme sensacional, com um elenco incrível e totalmente à prova de plot hole, poucos tiveram a disposição de ler o livro. Às vezes isso não faz tanta diferença, principalmente em casos como este em que a história original é tão bem adaptada nos detalhes mais íntimos. Só que no caso de Ilha do Medo chega a ser uma pena existir um filme tão bom, porque esse livro tem uma prosa de cair o queixo e eu ainda recomendo a leitura do título…mesmo caso você já saiba o que vai acontecer por causa do filme

Então eu vou destrinchar os motivos pelos quais você deveria dar uma chance pra Ilha do Medo, evitando ao máximo os spoilers!

Então vamos lá: o livro Ilha do Medo foi escrito por Dennis Lehane e publicado em 2004 pela HarperTorch, e ganhou uma adaptação cinematográfica espetacular em 2010; esse filme é dirigido por Martin Scorsese e tem no elenco nada mais nada menos que Leonardo DiCaprio, Mark Ruffalo e Ben Kingsley. Lehane tem um histórico de livros que viram filmes incríveis, tendo sido também o autor de Sobre Meninos e Lobos (adaptado pro cinema pelo Clint Eastwood). Na verdade, até hoje não li nenhum livro do  Lehane que eu não queira recomendar extensamente, porque a prosa dele é tão fluida que dói no meu coração e todas as histórias se encaixam perfeitamente. É muito fácil ler Lehane e as páginas passam voando. Inclusive, quem vocês acham que escreveu o roteiro pro Scorsese? Esse carinha aqui, mesmo!

Nesta obra, que se passa no ano de 1954, acompanhamos o agente do FBI Teddy Daniels e seu recém-nomeado parceiro Chuck Aule em uma incursão ao Hospital Ashecliffe para os criminalmente insanos, que fica isolado do mundo em uma ilha. Eles são chamados para investigar o desaparecimento de Rachel Solando, acusada de diversos assassinatos. Enquanto eles procuram, começam a perceber muitas coisas que não deveriam estar ali, e começam a suspeitar que há algo mortalmente errado em Ashecliffe. Ao mesmo tempo, um furacão se aproxima, e as coisas começam a sair de mão quando Teddy não sabe mais em quem confiar, duvidando inclusive de seu próprio parceiro.

O motivo pelo qual eu escolhi escrever sobre Ilha do Medo ao invés de algum outro livro qualquer do Lehane é que eu adoro a premissa que ele tem de juntar thriller e suspense psicológico! Esse livro se desdobra de uma forma que os gêneros se fundem espetacularmente, e a gente acaba se vendo não apenas investigando o que há de errado em Ashecliffe, mas também se aprofundando na mente do próprio Teddy Daniels, e começamos a enxergar resquícios de insegurança e insanidade por trás de sua fachada tão machona e equilibrada, como algo que a gente tenta ver por baixo da água turva de um rio.

O mais engraçado disso é que inicialmente, essa história não foge muito do clichê. Vamos a um manicômio com dois agentes osso duro do FBI e nada é o que parece ser. Nada muito original, né? Só que a chave da genialidade deste livro está nos personagens em si. Rachel Solando, por exemplo, nossa assassina desaparecida. Embora não a vejamos em nenhum momento, ela vira uma pessoa tão real quanto eu e você, porque Lehane tem esse jeito de caracterizar pessoas, com pequenos maneirismos e características, e de repente ela existe pra você. No caso do detetive Teddy Daniels, isso acontece com ainda mais intensidade, e a gente acaba se perdendo na dualidade daquele personagem, em tantas nuances que existem nele. E a gente se consome nas obsessões dele, quer as achemos razoáveis quer não.

Enfim, o Scorsese seguiu com exímia perfeição o material original, e a bem da verdade não se perde tanto vendo o filme ao invés do livro, pra quem tem preguiça. Eu ainda assim recomendo o livro Ilha do Medo pros amantes da literatura, e qualquer coisa do Lehane, porque é gostoso demais de ler. Esse livro em específico me marcou muito e foi uma das primeiras resenhas que eu escrevi a sério. Por isso também ele é especial pra mim, então espero que leiam e tirem suas próprias conclusões.

Boa leitura!

Comentários

Populares

Topo