CapinaLemos

O Nome do Vento de Patrick Rothfuss – CapinaLemos

Olá queridos amigos CapinaLeitores! Sejam bem-vindos ao CapinaLemos, seu recanto de resenhas sobre literatura no Capinaremos.

Hoje comentarei um pouco sobre A Crônica do Matador do Rei, a saga de um dos melhores personagens que já viveu em páginas.

Para começar, devo dizer que é um livro que surpreende. Sua narrativa é composta por duas linhas do tempo, alternando entre presente e passado enquanto o narrador e personagem principal da obra reconta seus feitos a um escrivão. Kvothe não é um narrador confiável e por vezes exige alguma atenção do leitor para detalhes mais adiante explicados.

Ambientado em um mundo medieval alternativo, onde a magia existe como uma espécie de ciência, A Crônica do Matador do Rei conta a história de um pacato taverneiro chamado Kote e de seu aprendiz, um rapaz estranho de nome Bast. Certo dia, um escrivão surge a sua porta, determinado a escrever a história da vida daquele que todos pensam ser apenas um taverneiro qualquer, mas que na verdade se trata de uma lenda viva. O taverneiro aceita contar sua história, porém com a condição que ela seja escrita em somente três dias. Rothfuss dividiu seus livros nestes dias onde alterna sua narrativa entre o presente, mostrando o dia a dia do taverneiro e o passado, onde Kvothe conta sua história. O Nome do Vento corresponde ao primeiro título lançado por Rothfuss, em 2007. É seguido por O Temor do Sábio.

 

Algo interessante neste universo criado por Rothfuss é como a magia se comporta e é representada. Em outras obras de fantasia, a mesma é comumente tratada em todo ar fantástico e impossível, não se preocupando em oferecer ao leitor qualquer tipo de explicação lógica para o processo mágico. Patrick foge desse meio e apresenta uma magia cientifica e embasada. O personagem principal conta sua experiência em uma universidade de magia e suas disciplinas são tratadas como disciplinas reais, algumas das quais refletem de fato suas contrapartes na realidade. Além do carisma de todos seus personagens, Rothfuss entrega uma magia plausível e extremamente bem explicada, sem ser maçante.

A saga também traz uma galeria de vilões interessantes, chamados de O Chandriano. Kvothe persegue o grupo em seus relatos do passado, desejando vingança e buscando poder para realiza-la. Além destes antagonistas com aspecto sobrenatural, o livro traz em si antagonistas que o leitor se irrita com facilidade e identifica-se com o ódio de Kvothe. A cada frase do personagem Ambrose seu sangue ferverá junto com o do protagonista, eu garanto.

Então é isso meus queridos amigos CapinaLeitores. Espero que tenham gostado da (pequena) resenha sem spoilers e caso se interessem pela saga, deixarei um link para a Saraiva, onde podem adquirir os dois primeiros volumes da saga e seu spin-off. Um grande abraço a todos e lembrem-se: Há três coisas que um homem sábio teme. O mar na tormenta, uma noite sem luar e a ira de um homem gentil. Boa leitura a todos!

http://www.saraiva.com.br/o-nome-do-vento-a-cronica-do-matador-rei-primeiro-dia-2659801.html

http://www.saraiva.com.br/o-temor-do-sabio-a-cronica-do-matador-do-rei-segundo-dia-3692622.html

http://www.saraiva.com.br/a-musica-do-silencio-8463312.html

Por Murilo Lamegal, Designer, empresário meio amalucado, uma preguiça humanóide e nerd em tempo integral.

Comentários

Populares

Topo