5 Músicas

5MÚSICAS: De filmes do Tarantino

Eis que nessa semana o diretor cinematográfico com os melhores roteiros não lineares completou mais um aniversário: o gênio Quentin Tarantino fez 54 anos na segunda feira, dia 27. Numa trajetória de 30 anos desde seu primeiro filme, fomos presenteados com muitos longa metragens excepcionais e com trilhas sonoras fantásticas como ambientação deles. Numa lista singela de 5 músicas (e um bônus) você vai conhecer (e relembrar) um pouco mais do trabalho desse diretor, escritor, produtor e ator.

ATENÇÃO: Muitos gifs.

Tarantino é reconhecido, pelo público geral, como o diretor que gosta de sangue jorrando nas cenas de violência e, por muitas vezes, é só por isso que é reconhecido, afinal, o motivo de ele ter se destacado no começo da sua carreira foi justamente ter esse tom de violência que salta aos olhos. Confesso que eu mesmo no começo achei que os filmes eram só isso, mas se você assiste mais de um filme, ou até reprisa algum, percebe detalhes que escapam aos olhos na primeira passada. Ao se tornar fã dele, percebe que os filmes dele têm muito mais que sangue.

Tem diálogos bem elaborados, extensos, que preenchem o filme. Desde uma conversa com um plano sobre o fim do Terceiro Reich ou, até mesmo, sobre uma simples massagem nos pés. Os diálogos são elaborados ao ponto de uma cena inteira transcorrer com assuntos mundanos, que podem adicionar pouco à história, mas agregam muito no desenvolvimento das personagens e nos fazem aproveitar cada detalhe como se aquilo não fosse uma narração ou uma história, mas sim uma conversa que você esta acompanhando no dia-a-dia.

Como ele mesmo se intitula um film geek, sempre consegue adicionar algum detalhe de algum clássico do cinema em seus filmes. Apenas em Cães de Aluguel, conseguimos perceber referências de Três Homens em Conflito, O Mágico de Oz e até de Kubrick, por exemplo. Em diversos filmes ainda encontramos referências de Blade Runner, Era Uma Vez no Oeste, Metropolis, Os Imperdoáveis e Cidadão Kane. Apesar de muitos destes serem filmes antigos e hoje serem conhecidos por menos pessoas, Quentin merece o mérito por conhecer tanto da arte do cinema, por trazer esses detalhes em seus filmes e por fazer parte da história do cinema com um estilo próprio dele.

Por cenas espetaculares, como o confronto da Noiva com Bill (Kill Bill vol.2), a explosão e o incêndio do cinema em Paris (Bastardos Inglórios), o tiroteio na casa de Calvin Candle (Django Livre), a dança sensual de Santanico Pandemonium (Um Drink no Inferno) e a abordagem de Julius e Vincent Vega no apartamento do começo de Pulp Fiction, dentre tantas outras, os filmes dele merecem ser assistidos mais de uma vez.

Teorias e algumas observações recorrentes das obras, ainda apontam que há relação entre os filmes, que eles (todos ou maioria) tem ligação, que há grandes chances de ter uma cena vista de baixo com foco em duas pessoas (trunk shot), que Samuel L. Jackson tem praticamente papel garantido em qualquer filme e que provavelmente terá uma cena com destaque para algum pé descalço feminino.

Grandes chances de muita coisa ter escapado num texto simples e direto como esse, coisas que você só vai poder reparar se assistir e quiser se inteirar sobre esse gênio do cinema. As músicas que estão abaixo foram escolhidas dentre dezenas que mereciam estar aqui, pois cada uma ambienta muito bem a cena em que é apresentada e marca bastante o estilo dos filmes do Tarantino.

Como deu bastante discussão pra escolher só 5 músicas na sede da Capina Corp., se você achar que faltou alguma, recomenda nos comentários! E fica minha recomendação para que conheçam e assistam (ou assistam de novo) toda a filmografia desse bad motherfucker.

Lista de músicas pra quem não tem Spotify:
Stuck in The Middle With You – Stealers Wheel – Cena que o Mr. Blonde corta a orelha de Marvin em Cães de Aluguel
Let’s Stay Together – Al Green – Abertura do trecho “Vincent Vega & Marsellus Wallace’s Wife” em Pulp Fiction
After Dark – Tito and Tarantula – Cena da dança da Santanico Pandemonium em Um Drink no Inferno
Cat People (Putting Out Fire) – David Bowie – Cena em que Shosanna se prepara para a noite de estreia do filme “Orgulho da Nação” em Bastardos Inglórios
Unchained (The Payback / Untouchable) – James Brown, 2Pac – Cena do tiroteio depois que Schultz é baleado em Django Livre
(bônus) Twisted Nerve – Bernard Herrmann – A música clássica do assobio de Kill Bill

Comentários

Populares

Topo