Criptaremos

CRIPTAREMOS – Amizade

Boa noite companheiros e companheiras militantes,

 

Depois desse dia caótico, com direito a dia de folga para alguns e dia de cão para outros, hora de sentar em casa, limpar o sangue da camisa, remover cirurgicamente as balas de borracha do corpo e ler uma história antes de ir para o hospital.

 

“A noite chega e é sempre mais escura pouco antes do amanhecer, isso é, se você sobreviver até lá.”

Abra sua mente, apague as luzes e se tranque no quarto, pois agora é a hora do terror.

AMIZADE

Com uma certa facilidade Beto termina de encaixar o pé esquerdo numa rocha protuberante, inclina-se para frente sobre o pequeno platô formado pelo anos que aquela montanha está ali, ele levanta-se ofegante, com um olhar marejado pelo vento forte que bate, levanta ambos os braços e dá um grito seco.

– Aeeeeeeehhoooo

Nesse meio tempo mais duas pessoas chegam pelo mesmo lugar, Nivaldo e Mathias. Nivaldo logo após terminar a subida ajuda Mathias a subir. Ambos se viram em direção ao vale que se estende à montanha e também levantam os braços e gritam uníssonos.

-Aaaaeeehooooo

-Aaaeeehooouuu

Beto entra no coro e acompanha a gritaria.

O grito deles ecoa pelo vale.

Atrás deles o último do grupo de amigos chega, Nilo arfando sobe com dificuldade. Nivaldo e Mathias vão ao seu auxílio, mas Nilo recusa.

– Eu quero fazer isso sozinho!

Ele finalmente termina de subir, se ergue pelo braços  na base do platô com as últimas forças que lhe restam e deixa o corpo cair para frente. Permanece deitado ali, ofegante e exausto Nilo, Mathias e Beto sorriem. Nilo se levanta, põe as mãos no joelho e fica parado ali durante um breve período para recuperar as forças, quando finalmente se ergue e grita.

– Aeeeeehhhhhoooooocaralhoputaqueopariporra!

Seu grito ecoa pelo vale.

– putaqueopariporra, queopariporra, pariporra…

Todos riem,

Mathias aproveita a situação, leva as mãos a boca em forma circular e solta um belo grito

– LINDO

Logo em seguida Mathias rapidamente em voz baixa – Eu sou o que? e o eco “responde” – Lindo, lindo, lindo.

Todos voltam a rir com a bobagem.

Beto tenta fazer o mesmo, leva as mãos ao rosto e grita

– LINDO

Em seguida diz rapidamente em voz baixa – O que eu não sou? Espera em pela resposta do eco, mas ela estranhamente ela não vem.

Beto ri e fala -Ta vendo, esse eco é esperto!

Então Beto volta a fazer a mesma coisa, ele grita, faz a piadinha sobre a própria beleza mas logo após o grito o silêncio no vale permanece. Ele para de rir, faz uma cara de confuso.

Os outros três que estão atrás dele fazem um círculo e se dão as mãos, rezam começam a rezar ao fundo.

Senhor,
ajuda-me a ser pessoa em clima de oração,
a ser sal da terra e luz do mundo.
Ensina-me a dizer “sim” como fez a nossa Mãe Maria.
Quero Te contemplar no topo da montanha,
em profunda paz e intimidade,
mas não me deixes ficar acomodado lá em cima.
Ensina-me a descer para melhor servir.
Jesus, escala comigo de mãos dadas!
Amém

Beto não percebe o que os amigos estão fazendo, ele está alheio a tudo. A única coisa que ele quer é entender porque o eco não funciona. Ele tenta mais uma vez gritar, mas nada acontece. Ele se vira para os companheiros que estão em círculo

– Nossa que estranho, aparentemente o eco não funciona comigo.

Os outros 3 terminam a oração. Nilo com lágrima nos olhos levanta os braços e em suas mãos uma foto com eles 4 reunidos.

– Betão, sei que você não está aqui fisicamente mas sei que está em espírito! Um dia a gente se encontra, valeu por tudo cara!

 

Comentários

Populares

Topo