5 Músicas

5MÚSICAS: Paul McCartney

Eis que um dos Beatles remanescentes anunciou shows pelo Brasil em 2017. Sim! James Paul McCartney virá às terras tupiniquins mais uma vez para levar  à loucura os fãs. Pra você relembrar, conhecer e até se preparar para os shows dos dias 13, 15, 17 e 20 de outubro em quatro capitais brasileiras, separei 5 músicas que demonstram um pouquinho do que o cara já nos apresentou durante sua carreira. Vem comigo!

Paul nasceu em Liverpool, em 1942, onde aos 11 anos conheceu George Harrison e aos 15 conheceu John Lennon. Paul começou sua carreira musical no Quarrymen, uma banda formada inicialmente por John e alguns colegas de escola, sendo convidado pelo próprio (na época) futuro-colega Beatle nos seus 15 anos. No começo dessa parceria, a tia de John desaprovava a amizade dos dois pois a família de Paul vinha de classe operária. Sorte nossa que isso não os separou e assim eles começaram a compor algumas músicas juntos. Em 1958 Paul convenceu John a aceitar Harrison, que era tido como muito novo, como integrante da banda e, com isso, já tínhamos 75% do que viria a se tornar uma das maiores parcerias de sucesso da história da música.

A banda trocou várias vezes de nome até que o nome The Beatles pegou e em 1960 eles foram se apresentar a primeira vez fora da Inglaterra, em Hamburgo, de onde foram deportados após um pequeno incêndio onde estavam hospedados. Em 1961,  a banda era composta por Paul (baixo), John (guitarra), Harrison (guitarra) e Pete Best (bateria). Este último não durou até o fim daquele ano, pois, ao assinarem contrato com a EMI, ele foi substituído por ninguém menos que o último Beatle que faltava nessa lista: Ringo Starr.

A história dos Beatles não entra em detalhes nesse resumão, mas em 1966, com a banda no auge da sua fama, Paul começou a desenvolver trabalhos solos, onde, inclusive, ganhou prêmios. Após alguns desentendimentos internos e o lançamento de Let It Be, em 1970, Paul anunciou o fim dos Beatles e o lançamento do seu primeiro álbum solo.

No álbum com seu sobrenome (McCartney, 1970), Paul escreveu todas as canções e gravou todos os instrumentos, além de ter produzido o disco em um estúdio particular em casa, com apoio de sua esposa, Linda. Em 1971, lançou o compacto Another Day e o álbum Ram, ambos de muito sucesso, mas principalmente o segundo, o qual continha alguns ataques ao ex-parceiro John Lennon e é reconhecido pela maioria dos fãs como o melhor álbum solo dele.

Ainda em 1971, voltaria a ter uma banda, os Wings, que era composta por 3 membros fixos e outros que faziam participações. A banda atingiria pela primeira vez o topo das paradas de sucesso só em 1973 e, no mesmo ano, lançou Live and Let Die que era a música tema do filme homônimo de 007. Depois, fizeram turnês com outros grandes nomes, lançaram mais sete álbuns, compuseram mais músicas com provocações a Lennon e, numa turnê para o Japão, em 1979, Paul foi preso por 8 dias por porte de maconha, levando ao fim da banda.

No começo da década de 80 o mundo foi pego de surpresa pelo assassinato de John Lennon. Não foi diferente com Paul, que se viu, inclusive, temeroso de ser o próximo a ser assassinado, por isso evitou fazer shows por algum tempo. Fora criticado algumas vezes por ter reagido tão friamente à noticia da morte do amigo, mas sempre que perguntado sobre ele, lembrava de situações simples em que tinham se falado: por telefone, ou numa visita rápida. Ainda nos anos 80, lançou McCartney II e outros 5 álbuns solo, onde fazia parcerias com Ringo, Stevie Wonder e até Michael Jackson que estava começando a fazer tanto sucesso, que essa parceria voltou-se contra Paul no momento que o Rei do Pop cresceu tanto que pode comprar os direitos sobre as músicas que os Beatles haviam composto.

Na última década do milênio passado, Paul veio, finalmente, ao Brasil: em 1990 tocou no Maracanã para 184 mil pessoas e desde seu primeiro show até os que ocorrerão em Outubro desse ano, Paul voltou mais 6 vezes às nossas fronteiras, lançou um álbum de música clássica, se reuniu novamente com os colegas Beatles, teve um outro grupo chamado The Fireman, passou pela dor de perder sua parceira Linda McCartney para o câncer de mama e o ex-colega e amigo George Harrisson para o câncer de pulmão, levando-o a fazer concertos em homenagem aos dois.

Além disso, em 2003, se tornou o primeiro artista a se apresentar no Coliseu, em Roma e se apresentou pela primeira vez em Moscou, na Praça Vermelha. Em 2009 bateu o recorde mundial de ingressos vendidos em menos tempo para um show. O show de Paul em Las Vegas teve seus ingressos esgotados em sete segundos (dado da empresa que organizou os shows).

Resumo do resumo da vida artística de um dos maiores artistas musicais dos últimos tempos: o cara é, com o perdão da palavra, foda. E, apesar de tudo que ele fez durante sua carreira, de todas as obras primas, tenho o difícil trabalho de pensar em apenas 5 músicas que possam resumir toda essa coletânea de sucessos. Contei com a ajuda do queridão Sir Hauck, que se assume fã de Beatles e, principalmente, de Paul McCartney pra ajudar nessa tarefa ingrata, por isso, se você acha que nossa escolha foi errada, deixa aí nos comentários as suas 5 músicas preferidas desse mito da música. Aquele abraço e ate a próxima!

 

Pra quem não tem Spotify:
The Beatles – Hey Jude
Paul McCartney – No More Lonely Nights
Wings – Band on the Run
Wings – Let me Roll It
Paul McCartney – Flaming Pie

Comentários

Populares

Topo