Criptaremos

CRIPTAREMOS – Consulta

Boa noite pessoas.

Médicos são profissionais de extrema importância, seu papel na sociedade além do prestigio, traz sobretudo grande responsabilidade. De um lado temos um profissional instruído onde o “fazer o bem” é sua principal função, do outro, estamos nós a mercê do desconhecimento e geralmente acatando tudo o que nos é informado, prescrito e aplicado já que há a certeza da boa intenção daquele que nos trata, mas são todos assim?

“A noite chega e é sempre mais escura pouco antes do amanhecer, isso é, se você sobreviver até lá.”

Abra sua mente, apague as luzes e se tranque no quarto, pois agora é a hora do terror.

CONSULTA

Bárbara é praticamente uma garota, não pela idade pois já passa dos 30, mas pelo seu jeito egoísta e desleixado. Ainda mora com os pais e até pouco tempo vivia uma vida regada de álcool, sexo e drogas de vez em quando. Não era novidade para ela acordar no dia seguinte sem saber exatamente o que havia acontecido na noite anterior e graças a esse jeito irresponsável é que ela acabou se deparando com uma gravidez inesperada, sabe lá Deus o motivo de isso não ter acontecido antes já que tinha aquele estilo de vida há algum tempo.

Bárbara deu a luz a um menino, Nataniel. Uma vez mãe ela se viu obrigada por seus pais a cessar seu tóxico estilo de vida, não que não fosse possível aproveitar uma festa aqui e ali, mas seus pais, conservadores em alguns pontos, a fizeram escolher entra sair de casa ou seguir as regras. Já que a relação com o pai da criança não passou de uma noite, o relacionamento a dois não era uma opção viável ela optou (forçadamente) a cessar de vez com tudo. Apesar de tudo os pais de Bárbara se limitaram a restrição ao estilo de vida da filha e a deixaram inteiramente responsável pelo criar de Nataniel.

Naquela segunda-feira, Bárbara espera impaciente na salinha sua vez chegar antes de ser atendida pelo pediatra. Ela ainda teria que fazer o cadastro, já sabia a maioria das respostas do questionário do convênio de cor já que aquele era o 4º profissional que ela consultava no curto espaço de 8 meses, não que os médicos que ela esteve anteriormente fossem ruins, pelo contrário, todos ele a haviam repreendido de alguma forma e como filha única que era ser contrariada não a agradava nem um pouco. Outro fato importante é que aquele pediatra além de ser mais perto anunciou ter tratamentos inovadores para pessoas com rotinas diferenciadas

– A senhora já pode entrar – Disse a secretária

Bárbara atravessa a recepção entra no consultório. Dr. Eurides Tanésio – Pediatra anuncia a placa que está na parede do consultório, no lado direito uma maca com um lençol descartável e ajeitada a esquerda a mesa, em cima da mesa uma caixa de papelão atrás dela o próprio doutor Eurides esticando o braço para pegar alguns livros e empilha-los na pequena cômoda que está encostada na parede atrás dele.

– Por favor sente-se – Diz o doutor após tirar a caixa de papelão e a colocar ao lado de sua mesa – Desculpe o transtorno, ainda estamos finalizando a mudança.

Neste momento o celular de Bárbara toca – Ai…justo agora? Bárbara põe Nataniel em cima da mesa, o segura com uma mão, tira o celular do bolso com a outra e atende a ligação.

– Alô….Oiiiieee…sim vou sim!

A criança que chora um pouco. – Shiiii fica quieto filhinho, mamãe está no telefone… sim, sim to com ele…

Dr. Eurides olha com estranheza para aquela situação -… Já te ligo, espera eu terminar um negócio aqui… tchau até mais tarde – finaliza Bárbara deixando a criança em cima da mesa ainda.

– Vida corrida doutor, olá tudo bem? Diz a mãe estendendo a mão para o médico, o doutor estende a mão devolta e faz o gesto para a mãe se sentar.

– Em que posso ajudá-la senhora….

– Bárbara – completa a mãe que persiste em deixar a criança na mesa – Sabe o que é doutor, gostaria de um remédio para que ele durma mais.

– Durma mais? – Dr. Eurides incomodado – mas antes, a senhora poderia pegar seu filho? Preciso……preciso pegar uma folha que está embaixo dele – Bárbara tira a criança da mesa – É MESMO! ai nem me toquei…hahaha….ah ele está um pouco pesado doutor.

– A senhora sente que ele não tem dormindo?- Pergunta sem dar trela a mãe

– Não…não sei…não exatamente…bom quase isso.

Dr. Eurides encara Bárbara por um segundo – Por favor ponha seu filho na maca e fique próxima a ele

O doutor levanta a camisa da criança e vê algumas manchas roxas, ausculta os batimentos da criança, olha o canal auditivo com o otoscópio percebe uma certa falta de higiene, com a pequena lanterna vê o tempo de resposta da dilatação da iris, põe as luvas para olhar a gengiva e garganta da criança e por fim a pesa na balança.

– Mãe, quanto tempo tem a criança?

– 1 ano e 2…3 meses….não 2 meses.

O doutor nota um pequeno grau de desnutrição pela relação de peso e a idade

– Ele se alimenta bem?

– Sim…ele só mama.

Dr. Eurides encara a mulher por mais alguns segundos, volta para a mesa, senta-se, abre a gaveta e pega um frasco e o gira entre os dedos.

– Olha mãe, sei que cuidar de crianças não é fácil, por isso por favor seja sincera e me diga porque exatamente a senhora quer um remédio para ele dormir?

– Sabe o que é doutor… é meio chato ter que ficar de olho nele o tempo todo…. se ele dorme…é…é mais fácil.

Dr. Eurides põe o frasco no centro da mesa, sua embalagem é totalmente branca – 1 pílula, amasse e dilua na mamadeira sempre antes de dormir é tiro e queda!

– Que remédio é esse? Não conheço!

O pediatra pega um papel e anota “Ricina” ele entrega a mãe – Fique tranquila mãe, é fitoterápico! a senhora vai ter resultados já na primeira noite.

A mãe abre um sorriso de felicidade enquanto pega o papel – Obrigado doutor!

Bábara pega suas coisas e se vai, assim que ela sai Dr. Eurides pega o telefone e disca alguns números – Alô – atende a secretária do outro lado – Erica, desta vez foi mais rápido que imaginei….procure um novo endereço para uma nova mudança e  ligue para oo nosso fornecedor providencie um novo frasco – A secretária – Sim doutor agora mesmo!

Doutor Eurides abre uma outra gaveta, pega um retrato, nele há uma foto onde está uma jovem mulher e o próprio doutor Eurides que segura uma criança em seus braços. O doutor passa a mão na foto, enquanto um pequeno sorriso se forma no canto da boca – Pronto filho, um novo um amigo para você.

 

 

RICINA – Mamona

Comentários

Populares

Topo