Problematizaremos

Ensaio sobre a Zoeira I

Ahh o Brasil, terra maravilhosa com um povo de humor duvidável porém interessantíssimo no que tange a utilizá-lo nos mais variados tipos de situações.

E, como qualquer fato social, somos fruto de um processo histórico, que em minha breve explanação, ficará evidenciada o quão importante essa construção histórica foi para que o Estado atual da Arte da Zoeira esteja tão bem consolidada até o corrente ano.

Não venho aqui intentar sobre a acuracidade histórica, muito menos zombar dessa linda terra brasilis, mas sim basear nosso tão sólido e encantador espírito zoeiro. De Pero até a Segunda Guerra, a gente conseguiu formar a base do que se tornaria a maior fábrica de memes do mundo.

Mas vamos aos fatos…

A gente começou mal ainda que tenha começado bonito, calma que eu explico:

Bem, todo mundo sabe que a gente nasceu com a famosa Carta de Pero Vaz de Caminha, que de fato é belíssima, ficamos felizes em nossa primeira impressão ser tão lindamente transcrita em português antigo; Mas a gente é Brasil desde sempre, e sendo assim, Pero caga no final com a seguinte frase: “ a Ela peço que, por me fazer singular mercê, mande vir da ilha de São Tomé a Jorge de Osório, meu genro—o que d’Ela receberei em muita mercê.” Traduzindo, em nossa carta de nascimento, o Pero pede para D. Manoel pra fazer a mão de dar uma afrouxada na pena de prisão do seu genro.

TEM COMO SER MAIS BRASIL QUE ISSO? E digo mais TEM COMO UM FUCKIN PAÍS DAR CERTO COMEÇANDO DESSE JEITO?

Mas calma que piora.

 

 

 

Clica e continua a saga amigão!

Apesar de essa não ser culpa brasileira (ODEIO PORTUGAL VOCES), Portugal regaçou com a gente bonito.  Ocorre que alguns brasileiros distintos, expulsos daqui, ajudaram a fundar Nova Iorque. Porra, tanto de gente para expulsar, e foram expulsar logo os mais competentes do território todo(?). Resumindo: Altas treta da ocupação holandesa no Brasil, e Portugal nem pra deixar a gente ter nossa própria Estátua da Liberdade. Mas tudo bem a gente se vingou dessa zoeira aí vencendo a Primeira Guerra Memeal, se tu não se recorda faz uma breve pesquisa, porque foi topper.

 

 

Um tempo depois, a família real veio se instalar no Brasil, mas a bonita não veio sozinha não. O que eu considero como primeiro meme do Brasil veio junto. Bem, aquela gente toda precisava de algum lugar pra ficar, a corte era enorme, e até a ideia de morar na Colônia era melhor que enfrentar Napoleão. E assim, nego imperial pichou as iniciais P.R. (Príncipe Regente) para expropriar as casas. E o que a gente fez? Memes óbvio!

O P.R. logo virou o famigerado Ponha-se na Rua ou Propriedade Roubada. E assim meus amores, nasceu a cultura memeal no nosso país tupiniquim.

 

 

 

Eis que uma zoeira de leve foi longe demais, um manuscrito, de número 512, feito por bandeirantes, trazia a descoberta de uma cidade perdida no interior da Bahia. Com direito a minerais preciosos jorrando, arco do triunfo na entrada e estátua monumental. Ninguém sabe o que ensejou esse relato de meados de 1700, se foi delírio, verdade ou a famosa zoeira. Eu voto na zoeira, porque afinal, aqui é Brasil né. Fomos zoar e deu ruim, o explorador Fawcett acabou morrendo na floresta procurando a El Dourado Brasileira, isso inclusive deu base ao filme Cidade Perdida de Z.

 

Cronologicamente, apresento-vos nossa melhor sacada from seven hells of South America in dedication of the lord the night satan: 1940,  cada país enchendo o cu do outro com bomba e a gente tava de boa. Inclusive(fazendo piada, óbvio) com a frase “Mais fácil uma cobra fumar cachimbo do que o Brasil participar da guerra na Europa”. Quando chamaram a gente pra guerra, a gente disse que ia, só não disse como. Fomo zoando, claro, tomando tiro e rindo. A Força Expedicionária fez seu símbolo, que inclusive tava no uniforme e tudo, uma cobra fumando cachimbo. Cara, isso é tão Brasil que eu nem tenho palavras pra explicar! E essa é a parte da nossa história da qual eu mais me orgulho #JesuisFEB

 

 

Shingeki no FEB: Attack on Nazistas

Shingeki no FEB: Attack on NazistasMinha temporada favorita da Segunda Guerra.

Posted by História nas Redes Sociais on Monday, February 13, 2017

Assiste que vale a pena.

Esse foi um texto redigido sem pretensões de ofender alguém ou diminuir nossas raízes, pelo contrário, isso tudo nos fez o que somos hoje. O que inclusive nos fez vencer a Primeira Guerra Memeal, história que nossos netos tem o direito de saber por quem a presenciou. Contra fatos não há argumentos, somos um povinho diferenciado e distinto. Destaco que isso não é algo ruim, é apenas uma característica que nos diferencia das mais diversas nações do mundo.

Bem gente, era isso. Fazia um tempo que tava querendo escrever esse texto e o dedico aos maravilhosos criadores de Memes que deixam as procrastinações do dia-a-dia mais divertidas. Amém CMF <3

Créditos à Pagina História nas Redes Sociais pelas imagens e vídeo.

Qualquer coisa marca um dia pra sair no soco comigo pelo twitter.

Comentários

Populares

Topo