Criptaremos

CRIPTAREMOS – Pintura

Boa noite pessoal,

 

A vida em casal é difícil, pois temos que conviver com o pacote completo, as qualidade e os defeitos, muitas vezes a cordialidade e o abrir mão daquilo que você gosta para a satisfação do outro pode chegar ao limite.

“A NOITE CHEGA E É SEMPRE MAIS ESCURA POUCO ANTES DO AMANHECER, ISSO É, SE VOCÊ SOBREVIVER ATÉ LÁ.”
ABRA SUA MENTE, APAGUE AS LUZES E SE TRANQUE NO QUARTO, POIS AGORA É A HORA DO TERROR.

PINTURA

Dado e Clara estavam com a data do casamento marcada e com ela o estresse de ter que tomar decisões sobre, qual as cores das toalhas, dos guardanapos e os sabores do bolo, os salgados, o jantar… enfim uma infinidade de itens que por mais feliz que o casal estivesse com a união, os ânimos já não eram dos melhores nesses dias que antecediam a tão sonhada data e como se já não fosse o suficiente, as chaves do novo apartamento do casal foram entregues e com elas o sonho de Clara de ela mesmo (com o maridão), pintar o quarto do casal.

Amor, por que não pagamos alguém para pintar o quarto, aliás o apartamento todo? – questiona Dado enquanto se dirige ao carro.

Não eu quero ter esse momento, eu e você, sei que temos outras coisas pra fazer, mas eu quero! – responde Clara imperativa – E vamos logo, que a C&C já vai abrir, quero ser a primeira a chegar.

Sim amor, você vai ter tudo o que deseja, minha ama – responde Dado em zombaria

Então ambos entram no veículo e se dirigem a loja. Chegam, estacionam e descem do carro.

Já falei que eu não gosto dessas músicas barulhentas, porquê insiste em colocar Dado se eu disse que não quero? – questiona Clara irritada

Tá bom, eu não coloco mais, na volta eu coloco o seu sertanejo….você vai ter tudo o que deseja, minha ama

O casal entra na loja.

– Tá vendo? já abriu! Queria chegar aqui antes, agora só falta chegar lá e já ter fila pra gente ser atendido. – reclama Clara enquanto se dirige apressada ao setor de tintas. Dado olha em volta não há uma única pessoa em volta a não ser alguns funcionários.

Ao chegarem no fim da loja, no canto junto a parede está o setor de tintas. Atrás do balcão um atendente arrumando as coisas para as primeiras horas de trabalho.

Boa tarde em que posso ajudá-los – saúda o atendente. Em sua camisa está pendurado um crachá e nele o nome Charles

Oi moço, quero ver o catálogo de cores?

Claro, pode me chamar de Charles – responde o atendente – Aqui está!  – Entregando prontamente o catálogo a Clara.

Ela olha o catálogo por alguns instantes indecisa, Então Dado aponta para uma das cores “Acerola”

Uma das paredes você não queria vermelha?

Sim – Responde ela com um ar duvidoso – Mas esse vermelho não, os que tem aqui não sei não…quero algo escuro e ao mesmo tempo vívido… Moço, tem outras cores?

Olha, temos um catálogo de cores personalizadas, você cria a cor que você quer. – Responde o atendente

Como funciona? – pergunta Dado

Simples, há a tinta branca que é a base e vamos adicionando bisnagas com as cores desejadas para então chegar no tom, no caso umas duas bisnagas vermelhas seriam o suficiente.

Clara, então animada, responde – Então eu quero o vermelho mais escuro que você consegue chegar!

– Ok – Então o atendente, vai para o trás de uma porta com uma placa escrita “Estoque”

É personalizado é mais caro – retruca Dado

Amor, pensa assim tivemos tanta sorte e economizamos tanto nas coisas até agora. No apartamento quando a outra família retirou a oferta, na igreja que houve aquele cancelamento de última hora porquê o noivo decidiu sumir e agora que o pedreiro que fez os serviços no apartamento e sumiu bem na hora de receber. Vai que temos sorte aqui hoje?

Dado ponderando com a cabeça – Sim, vamos ver primeiro então.

A atendente demora um pouco a voltar, então Clara procura na bolsa o celular, mas não encontra. – Será que eu deixei no carro? – Ela continua a procurar e nada – Droga! Não está aqui, eu vou até o carro preciso ligar pra matrimonialista que não responde minhas mensagens desde ontem.

Nesse momento Charles o atendente retorna – Desculpe a demora estava procurando a bisnaga vermelha, e tenho más notícias, acho que não tem mais em estoque.

Dado e Clara se entre-olham e Clara meio chateada – Ai moço, você disse que tinha! Agora que você falou eu quero a tinta personalizada!

É infelizmente não encontrei, posso verificar novamente mas pelas informações do estoque não tem e deve chegar só na próxima semana.

Mas moço e agora?

Não há muito o que eu possa fazer – responde o atendente dando nos ombros

Dado então puxa Clara para um canto – Amor, vai para o carro, pega o celular e deixa que eu resolvo aqui, ele disse que pode verificar novamente e vai que nossa sorte volte?

Clara pondera positivamente com a cabeça e então sai em direção a saída da loja para ir ao carro.

Então Charles, você disse que pode verificar no estoque novamente? – pergunta Dado ao vendedor

Sim, é que….cá entre nós… há uma parte no estoque que está uma bagunça, pode ser que haja algumas bisnagas lá…

Beleza, então você pode verificar por favor? Aliás se quiser, posso ir junto para procurarmos mais rápido, digamos que eu sou uma pessoa de sorte.

Charles concorda, então abre o balcão e ambos se dirigem ao estoque. Ao entrar um grande galpão com várias estantes de metal com caixas e caixas eles passam com algumas prateleiras e ao fundo do galpão há uma porta, então Charles a abre e naquele pequeno quarto caixas mal empilhadas, rolos de plástico bolha e conduítes, tudo sem ordem aparente.

Nossa, bagunça é um eufemismo – exclama Dado

É…eu não duvidaria nada se houvesse um corpo aqui… hahaha – brinca Charles.

Ambos começam a busca nas caixas espalhadas – Tente encontrar as caixas com o logo de tinta – orienta Charles. Entre uma caixa vazia e outra cheia de espelhos de tomadas o telefone de Dado toca, é Clara.

– Amor, já encontrei meu celular e estou aqui no balcão de tintas há um tempão, onde você está?

Estou ajudando o Charles a procurar a bendita da bisnaga. – responde Dado já meio irritado

Ah, então tá…já que você está ai eu vou ver as mesinhas aqui e a gente se encontra no carro ok? boa sorte amor e não demora tá? – diz Clara que desliga o telefone e se dirige a outro setor da loja.

Não eu não vou demorar… acho que estou…sentido a sorte chegar. Beijo até daqui a pouco. – Dado desliga o celular, ele desliga o telefone se vira para Charles e pergunta – Como é que funciona o sistema da bisnaga mesmo?

Charles se vira, em um canto há algumas bisnagas vazias ele pega uma e joga para Dado – Simples, pega umas 2 dessas, coloca na tinta branca base e pronto! Você deve chegar no tom desejado.

Charles pega a bisnaga olha para ela, repara em volta e vê algumas ferramentas encostadas num canto, ele então vai até a porta da sala e a fecha.

No estacionamento, dentro do carro Clara está ao telefone ainda tentando contato com a matrimonialista quando de repente alguém bate no vidro.

– Ahh! – exclama Clara assustada.

Do lado de fora do carro está Dado, ele então faz sinal para que Clara abra a porta.

Que susto você me deu, vai ficar ai fora pra aprender!

Então dado levanta a mão, nela há um balde de tinta, ele vira e na parte há uma parte transparente onde é possível ver a tinta que está dentro, ela é de um vermelho escuro e vívido do jeitinho que Clara queria.

Ahhh você conseguiu, não acredito! – diz Clara toda alegre enquanto abre a porta do carro, ela sai e dá um grnade abraço em Dado seguido de um longo beijo.

Viu amor eu não disse? Nós somos um casal de sorte!

Dado pondera com a cabeça positivamente, olhando para uma mancha vermelha em uma das mãos – É amor, muita sorte! – 

Comentários

Populares

Topo