• Videos

    Sunglasses – O Mundo de Outra Cor



    Vou propagandear aqui no blog, mas só pq é coisa boa.
    Festa, quem não curte não é?

    Bom, essa aqui é da galera de um colégio ai, tal de CNEC, aqui de Farroupilha. Estão fazendo a festa para angariar fundos para a sua formatura, que ocorrerá no final deste ano.
    Festa Sunglasses – O mundo de Outra Cor, na New Disco (o antigo Santa), começa as onze horas e vinte e dois minutos (?), não me perguntem o pq, estou apenas divulgando. Os ingressos podem ser adquiridos com a galera do terceiro ano do CNEC, na loja Drop’s de Menta e no Posto Benvenutti. Custarão R$10,00 antecipados e R$ 15,00 na hora.

    Detalhe importante da festa: OS 300 PRIMEIROS INGRESSOS GANHARÃO UM ÓCULOS COLORIDO.

    Taí ó, já arruma um esquemão*, tchê.

    *Sei lá como é no restante do país, mas aqui no Rio Grande do Sul, mais precisamente na Serra Gaúcha. Esquemão é quando o cara combina uma festa e já vai com a guria, sacaram?

  • Ah Vai Carpi Milho

    Boneca, time de Boneca


    Como a onda agora é zoar o time do Botafogo, nós, capinadores, não podemos ficar de fora.
    Tendo isso em vista, acabei por encontrar essa pérola no YouTube – aquele sitezinho que colocam vídeos e tal.
    P/ os preguiçosos eu vou dar uma breve explicação do que se trata: uma montagem em cima do filme “Tropa De Elite” – filminho esse que os brasileiros nem piratiaram, não é encontrado em qlquer esquina de uma cidade, para quem não mora em Farroupilha – sobre as amareladas do Botafogo ultimamente.

    Agora, uma salva de palmas aos torcedores do Botafogo pelo protesto que fizeram com calcinhas e pipocas no aeroporto, nem nós do blog teríamos pensado em algo tão genial (ou será que eu ia dizer genital…). O que teve de mulher indo trabalhar com a bichana livre aquele dia não foi brincadeira.

  • Top 20

    Top 20 #2

    20 coisas que aprendi com meu amigo colombiano:

    1. Ele não tem uma boa receita de tacos, salsa, ou qualquer outro prato estereotipo espanhol.
    2. Ele não conhece pessoalmente Juan Valdez.
    3. Juan Valdez não é uma pessoa de verdade.
    4. Colômbia e México não são o mesmo lugar.
    5. Colômbia e Cuba não são o mesmo lugar.
    6. Ele é da Colômbia, não Columbia.
    7. Ele não é parte Asteca.
    8. Ele não vive em medo que Fidel Castro o cace e leve ele de volta para casa.
    9. O Padre (Pai) dele não foi amigo de Che Guevara.
    10. Ele não venera Valderrama.
    11. Mexicano e Colombiano não são a mesma coisa.
    12. Ele nunca traficou frutas exóticas e/ou haxixe pela fronteira.
    13. Ele não possui um poncho.
    14. Ele não possui um sombreiro.
    15. Ele não gosta de ficar dançando nas esquinas com os já mencionados poncho e sombreiro.
    16. Ele nunca quis ser um Menudo.
    17. Ele não é um profissional em fazer charutos.
    18. Ele odeia quando você chama ele de “mano”. Também vale para “latino”, “sul-americano”, e “mexicano”.
    19. O L duplo em “Tortilla” é mudo.
    20. Ele não é mexicano.
  • WebGames

    WebGames #2

    Clique na imagem para jogar.

    Grow Island é um jogo bem interessante. Nele você tem algumas opções para evoluir a sua ilha. Seguindo uma linha lógica, ou não, você vai evoluindo as diversas funções possíveis. Essa foto ai em cima foi o máximo que eu consegui evoluir, não sei se tem como deixar todas no máximo.

    Se alguém conseguir me manda um tutorial.

  • Random

    Zorra Total

    Os soldados estavam cansados e sozinhos após várias semanas na guerra. Para entretê-los, o Major chamou um número erótico de um vilarejo próximo.

    Ela veio, dançou e quando a primeira dança acabou, os soldados ficaram malucos. Aplaudiram por 5 minutos.

    Para o seu segundo número, ela tirou a roupa e dançou de calcinha e sutiã. Essa vez o aplauso durou 10 minutos.

    No próximo número ela dançou topless, e o aplauso simplesmente não parou. O Major teve que ir até o palco e pedir silêncio para o grande final.

    Para a última dança, ela se despiu toda e dançou pelada. O Major estava esperando tanto barulho que o telhado viria abaixo. Mas dez minutos depois, não houve nenhum aplauso e a dançarina voltou para os bastidores. O Major perguntou a ela, “O que aconteceu? Como não houveram aplausos dessa vez?”

    Ela respondeu, “Major, como você quer que esses pobrezinhos aplaudam com uma mão?!!?”

    “Na mesma praça, no mesmo banco…”

  • The Imortal's

    Um Imortal que joga no Imortal.

    Sandro Gomes da Luz, mais conhecido como Sandro Goiano, meus amigos, é Imortal em dobro. Por sua raça guerreira e determinação infindável ele, por si só, é um imortal. Porém, revestido do manto sagrado do imortal tricolor dos pampas, ele torna-se indestrutivel, inegualável e, por qur não, incomparável.

    Afilhado de Dinho, cangaceiro dos pampas (e que será imortalizado no futuro), Sandro foi o capitão de uma era negra, uma era nebulosa, em que o GRÊMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE se encontrava. Ele não só trouxe o time de volta para a elite do futebol brasileiro, junto é claro de Gallato, Anderson e cia (esses também, imortais futuros), como formou junto de Gavilán a melhor dupla de volantes da América em 2007.

    Copero y peleador, a sua identificação com a torcida não poderia ser maior. Ele já ganhou sua própria saga, um conjunto de quadrinhos que conta suas histórias. Já recebeu sua lista de verdades, Sandro Goiano facts, que foi parar até lá no Mato Grosso, no blog do Jacaré Banguela. Possui várias comunidades no orkut. E a imortalização maior, (além de participar do The Imortal’s, é claro) um trapo.

    E por fim, mas de forma alguma menos importante, Sandro Goiano além de entrar na calçada da fama gremista, entra agora em uma seleta categoria de fenômenos universais que ficarão em nosso subconciente para sempre. Seja bem-vindo ao The Imortal’s, Sandro.

    E fique agora, no ritmo da geral, com uma homenagem ao mais novo imortal:

    P.S: Esse post viria mais adiante, mas fiquei com medo de sofrer retaliações por parte dele caso não postasse logo a oficialização de sua imortalidade.

  • Quadrinhos

    Malvados sim, errados jamais.

    Clique na imagem para ver melhor.

    Bons tempos aqueles do vício em Malvados, alguns ligavam o computador e procuravam pela bolsa de valores ou pela cotação do dólar e eu entrava no site do Dahmer pra ler a tirinha nova. São sarcasticas, irônicas e retratam o cotidiano como ninguém. Difícil alguém ainda não conhecer o trabalho do cara, essa tirinha é mais uma homenagem do que uma prestação de serviço.

    Hoje eu estou curado de meu vício, mas eu continuo indo lá quando preciso de salmos contenporâneos.

Carregar Mais
Topo