• Random

    Cultuaremos #2 – Deuses pagãos: Nergal, deus da guerra e da morte mesopotâmio

    Ser cristão é chato, mas ser ateu é mais ainda. Se é pra ser diferentão, ao menos escolha um deus que aceite orgias, festas, banquetes como ritual ou sacrifícios.

    É por isso que criamos esse quadro com uma linha seleta de deuses pagãos dos mais variados estilos e gostos para você escolher qual será sua adoração do final de semana. Nesse catálogo, você conhecerá as histórias e motivos para escolher seu deus.

    E hoje, para aqueles que tem muito ódio no coração é a vez de Nergal, o deus da guerra mesopotâmio!

    Imagina esse diabo entrando num campo de batalha. Isso deveria ser foda.

    Nergal foi muito adorado nas civilizações antigas como Babilônia e Assíria. Normalmente é representado com um pênis ereto. Ou como sendo metade leão.  Aos poucos, muito ligado à destruição, Nergal cresceu e se tornou o deus do submundo. No cristianismo, foi demonizado e considerado o “chefe da polícia secreta de Satã” e “espião honorário a serviço de Belzebu”.

    Rituais: Basta uma oração com as mãos levantadas para o céu e sua fazenda será produtiva.

    PONTOS POSITIVOS:
    – Não pede sacrifícios humanos;
    – Tem um título estileira;
    – Vai te garantir um lugar maneiro no submundo.

    PONTOS NEGATIVOS:
    – Ritual é uma merda;
    – Caiu em popularidade nos últimos milênios, fanbase é pequena;
    – Você vai ter que morrer em uma guerra.

    Na falta de uma guerra, uma partidinha de Larp pode satisfazer o deus.

    Conclusão: Nergal teve seus momentos, chegou a ser um deus importante, mas caiu em desuso recentemente. Sugestão para adorar esse deus é criar LARPS em sua homenagem com os amigos. Barrilzinho de cerveja sempre cai bem. Ouçar um black metal do Behemoth durante a cerimônia.

     

  • CapinaLemos

    CapinaLemos – Ilha do Medo

    Olar, caros capinaleitores!

    Nesta edição nós vamos falar do livro Ilha do Medo de Dennis Lehane, que foi base pro filme do Scorsese.

    Enquanto muitas das pessoas a quem eu perguntei já tiveram a chance de ver esse filme sensacional, com um elenco incrível e totalmente à prova de plot hole, poucos tiveram a disposição de ler o livro. Às vezes isso não faz tanta diferença, principalmente em casos como este em que a história original é tão bem adaptada nos detalhes mais íntimos. Só que no caso de Ilha do Medo chega a ser uma pena existir um filme tão bom, porque esse livro tem uma prosa de cair o queixo e eu ainda recomendo a leitura do título…mesmo caso você já saiba o que vai acontecer por causa do filme

    Então eu vou destrinchar os motivos pelos quais você deveria dar uma chance pra Ilha do Medo, evitando ao máximo os spoilers!

    Continue Lendo

  • Colunas

    Rumo ao Oscar 2017: A Qualquer Custo é faroeste na linha de Onde os Fracos Não Têm Vez

    O filme independente no Oscar de Melhor Filme do ano, A Qualquer Custo é a produção mais explosiva da edição 2017. Com Chris Pine, Ben Foster e concorrendo nas categorias de Melhor Edição, Roteiro Original e Melhor Coadjuvante pra Jeff Bridges, a produção não perde na tensão e suspense de outro filme em terras texanas: Onde Os Fracos Não Têm Vez.

    Confere nossa review sem spoilers:

  • Random

    Cultuaremos: Deuses Pagãos – Baal

    “Você é pagã? Então dedica bacanais homéricas em honra da deusa? Bebe vinho do sangue sob a lua cheia(…)? Entra na nua na espuma do mar cantando em extâse (…)enquanto as ondas lambem suas coxas? Pagã, sei. Como disse Chesterton ‘não têm a fé e nem querem o prazer’.” – Mr. Wednesday – Deuses Americanos

    Abre-se agora o #cultuaremos, um espaço onde apresentaremos deuses pagãos todos os dias para que você possa dedicar sua alma/vida/sanidade a eles.

    E começamos com…Baal!

    Baal é esse cara gente fina mas que perde a cabeça de vez em quando. Muito popular na antiguidade.

    Baal é um deus bem das antigas e até é citado na bíblia por ser adorado pelos povos inimigos de Israel. Adorado principalmente pelos fenícios.

    Sua descrição é que ele se assenta “sobre os altos deuses montados sobre o santo monte do céu”.  Baal era principalmente um deus do sol, chuva, trovões, fertilidade e da agricultura.

    Entre as civilizações devotas a ele, os babilônicos, principalmente na época de reis como Nabucodonosor.

    Deus da fertilidade da terra e do ventre, os rituais para baal normalmente envolviam orgias, comida e bebida a reveria.

    PONTOS POSITIVOS:
    – é da putaria.
    -Vai abençoar sua fazenda
    – rituais são festas inesquecíveis

    PONTOS NEGATIVOS:
    -Exige o sacrifício de crianças;

    Sacrifícios infantis não são vistos com bons olhos hoje em dia. Nos rituais, você pode substituir o sacrifício por um belo churrasco de vitela

    – Pede que as pessoas se cortem nos rituais e sangrem para ter misericórdia;
    – Tende a ser bem revoltado.

    Conclusão: hoje em dia, você precisará substituir os sacrifícios de crianças por churrasco de vitela, segue sendo uma opção popular principalmente na parte das festinhas.

Carregar Mais
Topo