• Problematizaremos

    Veganos e Carnistas – Quem sai ganhando?

    Muito se fala do estilo vegano de ser, principalmente no que tange ao vegano ter dificuldades em lidar com a opção de outras pessoas que insistem em comer carne. Muitas são as acusações e manifestações vindas desse grupo contra quem ainda é adepto a uma dieta que inclui todo tipo de alimento de carne. Sendo assim, resolvi reunir aqui nesse post os aspectos mais relevantes dessa discussão.

    Inicialmente gostaria de ressaltar que o vegano não é aquele que apenas recusa carne como alimento. O vegano recusa todo tipo de produto de origem animal, pois entendem que os animais devem viver livres, e qualquer coisa diferente disso, seria exploração animal. O que eles provavelmente não sabem, é que temos produtos de origem animal por toda parte, e algum deles nós nem fazemos ideia.

    Um grande exemplo desses produtos, seriam os shampoos e condicionadores, que de acordo com a PETA, mais de 20 químicos de origem animal podem ser potencialmente encontrados, e muitos desses ingredientes podem ser tanto de origem animal ou vegetal, se tornando difícil distinguir. Outro exemplo clássico é o das sacolas de plástico (aquelas de supermercado), que tem em sua fabricação gordura animal para melhorar sua elasticidade. Pneus de carros ou bicicletas possuem em sua fabricação uma versão de origem animal do ácido esteárico, que serve para conservar o formato do pneu sob o atrito no chão, bem como a camisinha que necessita da caseína, que é o produto chave na fabricação do látex.Continue Lendo

  • CapinaLemos

    CapinaLemos – A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra

    Olar queridos CapinaLeitores!!!

    Hoje iremos falar sobre um livro leve, daqueles bem tranquilos, para passar o tempo.

    Como diria uma amiga, o famoso “Livro Sessão da Tarde”.

    Recebi a indicação do mesmo exatamente com essa premissa, e confesso que ele atendeu a expectativa.

    O livro em questão chama-se A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra.

     

    Continue Lendo

  • CapinaShow

    CapinaShow #63 – Especial Memes

    DESCUBRA QUE MEMES SÃO MUITO MAIS QUE UM BANDO DE CARINHAS!

    O que teve de bom nesse programa?

    O programa foi ao ar no dia 23 de março e teve o seguinte casting (segue nós no Twitter):
    Zanfa;
    Pikles;
    Fernando;
    Clécio;
    Angelo Galgaro;
    O patrão convidado senhor Xiluembo, Andrius Ribas;
    E os moderadores da Capina Meme Factory: Nelson Morteiro e Raphael Menossi!

    TACA O PLAY, AMIGÃO!

    E você também pode fazer o DOWNLOAD deste programa, caso queira! 😉

    Quer participar AO VIVO do programa? Seja patrão e agende sua participação conosco!

    E SE LIGA, ESCUTE AO VIVO, QUINTA QUE VEM, 22H SÓ NA WEBPUTZ.COM.BR!

    OU NA HAPPY RÁDIO!

  • 5 Músicas

    5MÚSICAS: Do antigo ao atual rap brasileiro

     

    Olá! Gostaria de levar vocês à uma viagem imersiva ao Rap brasileiro, desde ao mais clássico rap tal qual Sabotage e Racionais até o tipo mais atual composto por Costa Gold.

    Essa lista não necessariamente segue algum tipo de ordem e é apenas a primeira de algumas partes que estão por vir.

    Continue Lendo

  • LOL Risos

    O melhor (ou não) do Capina Meme Factory. [13]

    “Uma vida sem memes não vale a pena ser vivida.”
    Sócrates

    Segue a nossa querida coletânea dos 10 melhores memes da semana, entre os dias 18/03 e 24/03.

    Essa semana, só essas 10 postagens alcançaram quase 31 milhões de pessoas. \o/

    Todos eles fabricados na maravilhosa Capina Meme Factory, venha pra CMF você também!

    Rodrigo Pscheidt fez memes sensacionais sobre o tema ‘papelão na carne’, esse alcançou 14 milhões de pessoas!

    Esse também é do Rodrigo Pscheidt, chegou a quase 5 milhões de lares internéticos.

    Maurício Rodrigues chegou a 4 milhões de pessoas com essa verdade.

    JP Quirino também mandou bem no papelão, chegando a quase 2 milhões com esse meme.

    A chegada do outono também rendeu memes, essa foi feito pelo Rafael Chianca.

    Pedro Pinho bugando nossos cérebros.

    Marcos Robson nos lembrando da importância de certas perguntas que devemos fazer previamente.

    Guilherme Alves e o drama das cremosas dos mememakers.

    Luan Bailly e essa declaração histórica.

    Jeff Scaramboni e os bons e velhos memes italianos seguiram fazendo sucesso.

    Venha pro chão da fábrica e veja todos esses memes todos os dias.

  • Animaremos – Como conservar sua coleção [Hikaji]

    Se você está aqui é porque gosta de mangás e, se você gosta de mangás, provavelmente gostaria de ter a sua própria coleção não é?

    POIS SEUS PROBLEMAS ACABARAM!!!!!111!111

    Continue Lendo

  • Imaginaremos

    Imaginaremos #20: Dia de Maldade

    Capa Imaginaremos20

    Sejam bem-vindos ao Imaginaremos, a coluna sobre RPG no Capinaremos. Hoje, com uma matéria especial sobre personagens malignos!

    Antes de começar a matéria, gostaria de lembrar a todos sobre o concurso do Imaginaremos, que vai sortear um Starter Set de D&D 5ª Edição. O sorteio vai ser dia 30 de abril e para participar você só precisa preencher esse formulário, duas perguntas bem rápidas e suas informações de contato. Cinco minutinhos e você já está concorrendo a esse incrível kit. Sem mais delongas, vamos em frente por que hoje é dia de maldade!

    51aaLMRzvuL._SY355_

    link para inscrição: Formulário D&D Starter Set

    Hora da maldade…

    giphyTodo mundo que se preze já pensou nisso. Um personagem que não segue as regras, que não é exatamente o farol da justiça no porto. Aquele personagem dúbio, que ninguém sabe de que lado realmente está… Não é dele que falaremos hoje. Hoje, comentaremos sobre vilões personagens.

    A vilania está presente desde o começo dos jogos de interpretação, mas rgiphy (2)aramente esse papel foi colocado nas mãos dos jogadores. Talvez a White Wolf tenha sido a primeira com a ideia de introduzir ao mundo do RPG um personagem moralmente dúbio, onde o controle de suas ações realmente está nas mãos do jogador. Em especial, em Vampiro: A Máscara, os jogadores são lembrados a todo momento que são monstros e que a cada passo que caminham na vida escura, perdem sua humanidade. Com o passar do tempo, mais jogos introduziram esse conceito tão presente no imaginário dos jogadores. A grande verdade é que jogar com vilões não é tão simples e exige um certo cuidado.

    Estamos acostumados com personagens heroicos, geralmente com padrões de vida baixo ou que seguem a margem da lei, mas você não espera ver seu paladino da justiça estripar um camponês por que ele fez chacota do seu cabelo. Vilões são emocionais  e em uma mesa com muitos jogadores, você terá diferentes perspectivas do que é ser um vilão, então o primeiro passo é guiar sua campanha.

    giphy (1)

    Em primeiro lugar, é imprescindível haver antagonistas. Um conselho é descartar a eterna batalha do bem contra o mal. Ela dificilmente vai funcionar pois os jogadores podem acabar caindo no meio termo e se você quer vilões, não é isso que irá conseguir. Estabeleça uma ameaça para seus vilões e faça-os cooperar entre si. Lembre os jogadores o que eles são o tempo inteiro, isso é peça fundamental para uma campanha com personagens malignos. Sejam os antagonistas governos ditatoriais que ameaçam o território dos personagens ou então antagonistas ainda mais perversos que seus queridos malditos, faça os jogadores terem ódio destes antagonistas, deixe que o ódio funcione contra os NPCs e você verá atos bem perversos. O que nos leva a uma questão importante…

    O quanto é o bastante? Onde é a hora de parar?

    14932_0Você provavelmente jogou algum jogo ou assistiu a um filme que lhe deu nojo ou foi demais. No meu caso, foi o Albergue (sim, eu sei, eu sou fresco). Como narrador, você deve saber dosar a vilania apresentada para que o jogo não se torne um martírio para seus jogadores. Conhece-los é o primeiro passo. Se um jogador tem claustrofobia, você não vai descrever uma cena com detalhes de um ambiente apertado e opressor, onde o ar falta a cada segundo e as paredes são escuras e sem ventilação.

    O segundo passo é conhecer a si mesmo e conversar com seus jogadores. Existem limites que não devem ser quebrados e não estou falando do politicamente correto aqui. Se um jogador ou mesmo você mestre não se sente confortável com algum tema, conversem entre si e evitem esse assunto na mesa ou então tratem-no como o inimigo, combatendo-o. Vilões são seres malignos por natureza, mas não são animais sem mente. Eles tem opiniões e as vezes simplesmente podem abominar algo por desgosto ou por que não é necessário. Um tema que sempre volta a tona quando o assunto é personagens vilões é o estupro. Pessoalmente, eu abomino e não me sinto confortável narrando uma cena dessas, então eu deixo claro aos meus jogadores o que penso e eles informam que aquilo não acontecerá. Simples.

    giphy (3)

    Conheça seus jogadores e saiba seus limites. É o primeiro e melhor passo para uma boa jogatina.

    Feito isso, lembre-se sempre que ser maligno é principalmente não ser idiota. Lembre seus jogadores que cada ação tem uma consequência e que uma ação tomada de maneira burra errada pode atrair atenção indesejada. Jogos com personagens malignos tendem a ter uma temática mais adulta  e por isso, exigem certa maturidade. Pense nisso ao narrar para seu priminho de 11 anos.

    Boa semana e boas rolagens roleplayers!

    fortressofthestonegiantsbanner.jpg

    Por Murilo Lamegal, preguiça ambulante, designer e caçador de Tarrasques

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    fortressofthestonegiantsbanner.jpg

Carregar Mais
Topo