• Colunas

    SOBRE A VIDA NA CIDADE

    ''Um político divide os seres humanos em duas classes: instrumentos e inimigos.''
     Friedrich Nietzsche    

     

    A cidade fede ao inculto e soberbo esgotamento intelectual. Gritos eufóricos anunciam agressões momentâneas. Rituais comumente desprezíveis são precedidos por avareza insólita e pobreza de espirito. As ruas infinitas, estruturadas através de um suposto e pobre planejamento, já não suportam o fluxo de corpos que desanimados prosseguem com passos deprimentes e cambaleantes.

    A cidade teme a solidão mas esta sempre sozinha, escondida atrás do vidro fume, curvada  diante do sangue. Essa cidade não ama, é blindada,e amor perdido é bala  na cara. Uma facção em uma fração de segundos causa um estrago atemporal.

    As capelas mortuárias  do conhecimento abrangem uma área exata e extensa, se encarregando  sempre de se certificar de que nenhum intelecto será exumado, as causas da morte contemporânea da razão  jamais serão reveladas.

    A nossa cidade dorme, e enquanto dorme não sonha. O lixo estático continua a se propagar de forma indecifrável, como uma onda sonora de destruição, que ecoa de milhões de estômagos famintos, como uma sinfonia  melancólica e confusa,  premeditada por uma orquestra que se auto proclama  esclarecida de seu tempo, no entanto tal clarão de lucidez foi capaz de cegar seu acervo histórico de memorias.

    A cidade esta doente e nós   somos essa doença, enquanto nossa vida girar desenfreada pelas vielas  desse território nós estaremos o  enchendo de nossas vivencias, construtivas ou destrutivas, tanto faz, o que realmente importa é se a chuva vai realmente lavar toda essa sujeira.

  • Escritos do Subsolo

    BEBER CAUSA INFELICIDADE ETERNA

       

    O choque, a ação de um átomo sobre o outro, pressupõe também a sensação. Algo de estranho em si não pode agir sobre o outro.

    — NietzscheO livro do filósofo
     

    Nelson, por que tu não te matas? Sabes muito bem o que digo! Se é melancolia dar a luz a teus dois filhos, imagina a tragédia que é culpar-te por  matá-los. Quando imagináriamos algo assim? És um traste maior que meu pai, ignora tudo que te digo,és um senhor e um escravo. Durmo ao teu lado esperando fechar meus olhos e morrer. Imagino milhões de vezes por que tu sobreviveste e eles não. Nunca saberei consolar meu corpo, que com cada célula te repele, te isola na culpa demente de viver mais um dia. Tua vida é um insulto para minha.

    Perderá minha alma na decadência dos teus atos, seu alcoólatra imundo, tua pele já é vermelha, mascarada de dobras mortas, flácidas e encebadas, os teus olhos afundam inebriados pela tua insistência em mante-los abertos. Por que continuas bebendo? Sabes que foi assim que te tornaste um assassino!

    O que  encontrará no fundo do copo? Responda-me, seu cretino! É ali que guarda tua mágoa? Por que eu nunca a vejo quando olho para ti, deve deixa-lá  fora de casa, na maloca, desabafando com as putas, és o legitimo covarde!  Primeira oportunidade enche o nariz de cocaína e desaparece,quando volta para casa , me ignora, sou a mãe suicida! Tua indiferença é um nicho para o qual eu me curvo  devota  e ciente de que tu em toda tua podridão és a única lembrança viva deles.

    Tu te fechas com a imagem da televisão, e ignora as cores da nossa desgraça, te ilude com a imagem digital, com a pornografia explicita e grita durante o futebol. Seu Cretino! Tu te reduz a dizer que foi um acidente, mas acidentes assim só acontecem com bêbados!

    A minha vida é mais uma destas garrafas vazias que tu joga fora todos os dias. Eu sou um rótulo rasgado, eu sou tudo que a tua sede destruiu!

     

    Se beber não faça merda

     

  • Problematizaremos

    POLITICAREMOS – ESPECIAL ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS 2018 – Henrique Meirelles (PSD)

    Olá caros leitores dessa coluna tão xingada aclamada por todo o publico do nosso amado Capinaremos, considerando a proximidade das eleições presidenciais e as acaloradas discussões a cerca desse tema, viemos aqui hoje dar aquele tempero a mais nessa discussão e com isso iniciar o nosso ESPECIAL ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS 2018.

    E para abrir os caminhos, iniciaremos com o provável candidato Henrique Meirelles, que é ministro da Fazenda e busca apoio do PMDB para se lançar como candidato. Ele também rodeia partidos do centrão como o PP e o PR para uma possível candidatura.

    Mas quem é Henrique Meirelles?

    Pois é, segundo o Datafolha o ministro é conhecido por 48% do eleitorado entrevistado, mas apenas 9% o conhecem muito bem e possui apenas 2% de intenção de votos.

    Em sua trajetória profissional podemos citar a presidência do Banco Central entre 2003 e 2011; no governo Lula ele foi o principal executivo do BankBoston nos EUA, chegando a ser um dos homens do ciclo próximo de Bill Clinton, presidente norte-americano naquela época; antes de assumir a fazenda, Meirelles foi por quatro anos presidente do conselho de administração da J&F Investimentos, holding criada pela família Batista e controladora da JBS e outras seis empresas do grupo, que está envolvido com o escândalo da Lava jato; tentou em 2002 a sorte como deputado federal de Goiás, eleito naquela ocasião com o maior número de votos.

    Mas vocês acham mesmo que ele para por aí? Claro que não! Veremos então a seguir outros predicados do nosso talvez futuro candidato a presidência.

    É MODESTO

    Em 06 de janeiro deste ano, em uma igreja evangélica, Meirelles afirmou que foi graças ao seu trabalho à frente da Fazenda que “saímos da maior crise da história do Brasil”.

    IMPOSTO NÃO É ROUBO

    Principalmente se puder aumentar as cobranças, como ele defende.

    TÃO POLÊMICO QUANTO MAMILOS

    Meirelles já esteve envolvido em polêmicas como notícias de remessas ilegais de recursos para o exterior, evasão de divisas, sonegação fiscal e ocultação de bens. Ganhou status de ministro por força de Medida Provisória, editada pelo ex presidente Lula, que lhe garantiu foro privilegiado.

    ACREDITA QUE APOSENTADO TEM VIDÃO

    Em março de 2017, em uma reunião com deputados do PMDB para decidir sobre a reforma, o então Ministro da Fazenda afirmou que a Previdência é “muito generosa” no Brasil  e com certeza não cederia para os idosos (antes dele também ser) o lugar no ônibus caso ele soubesse o que é um.  

    Ainda falando sobre previdência, vale lembrar que Meirelles é o capitão da agenda econômica atual e defendeu arduamente a reforma da previdência.

    FICA TEMER

    Para seu lançamento como candidato a presidente, Meirelles pretende ter o apoio de Rodrigo Maia e o atual presidente da República Michel Temer, afirmando que defenderá o governo do peemedebista, e para que a aliança se concretize, algumas reuniões já aconteceram.

    Com cerca de 2% nas pesquisas de intenção de votos, ele estabeleceu uma meta de 5% a ser alcançada em março para confirmar ou não sua candidatura.

    Henrique Meirelles, que casou-se aos 55 anos de idade e aparentemente não possui filhos, frequenta igrejas evangélicas e seria homossexual segundo as más línguas.

Carregar Mais
Topo