Colunas

CapinaScreen – EPISÓDIO 1: THE CAPINASCREEN AWAKENS

capinascreen

Estamos presenciando o despertar da força mesmo: Star Wars voltando, Netflix sendo destruidora nas suas séries originais, e é claro, o Capinaremos mostrando a que veio.

Nós, nerds, geeks, gamers, gente esquisita que habita a internet, passamos a ser alvo da mídia, e só Odin sabe o quanto eu agradeço por isso. Tem tanta coisa boa que foi preciso a Capinascreen  pra apresentar pra vocês as novidades (ou antiguidades) da indústria de séries e filmes.

screen22

Bem, minha história com o mundo das séries começou com aquele longínquo SBT dos anos 2000, Full House e Blossom me fizeram entrar pra esse universo sem volta dos seriados americanos.

Nunca fui muito exigente nem supercrítica na escolha das minhas séries (prova disso é que assisti Gossip Girl. E gostei!), mas devo admitir batia aquela invejinha das pessoas que realmente se identificavam com alguma série e realizavam debates enfurecidos sobre com quem deveria ficar com o Trono de Ferro, ou choravam assistindo Friends. Depois de todos esses anos, nem as sugestões Netflix me conceberam uma série para chamar de minha. Então o primeiro Capinascreen será sobre a série que é a prova que dragões e super-heróis não são necessários para fazer uma série foda.

O primeiro post da nossa saga tem que ser especial, e nada melhor que apresentar para vocês a minha série preferida, que tem até historinha da minha relação de amor com ela (awn :3).

Eis que, despretensiosamente, levada por links do buzzfeed acabo por descobrir que uma série que tinha uma mulher feminista como protagonista (YES!). Minhas suspeitas se confirmaram, era ela, minha preciosa, finalmente a encontrei, a minha série.

Parks and Rec é um seriado de sete temporadas, a maioria delas com 100% no Rotten Tomatoes, e é uma das melhores séries de comédia norte-americana da atualidade. Como o The Office, é quase um pseudodocumentário, uma comédia de escritório que fala em geral da vida de seus funcionários. Conta com um elenco promissor, com Chris Pratt (Guardiões da Galáxia) e Aziz Ansari (Master of None), além da talentosa Amy Poehler.

Como todos amam listas, estão aqui os motivos pelas quais me apaixonei por Pawnee, Indiana, a melhor cidade que existe.

1.A série fala sobre Política

Praticamente uma House of Cards feat The Office cômica. A série gira em torno de Leslie Knope tentando, dentro do sistema público burocrático, melhorar a vida da sua comunidade.

gif1 politica
2. Ron F***ing Swanson

Just Ron Swanson.

gif2 (5)

gif2

gif2 (2)

gif2 (6)

ok, é a última

gif2 (4)

3. Amizades Improváveis

Esqueça todos os seus clichês sobre amizade. Só em Pawnee você vai encontrar um libertário coordenando uma repartição pública com as melhores pessoas desse universo.

gif3

4. Eles vão fazer você repensar seus conceitos

A crítica começa no lema da cidade “Pawnee First in Friendship, Fourth in Obesity”. O modo de vida americano é questionado, mostrando que o maior obstáculo para as mudanças (pasmem!) são as pessoas.

gif4
5. Você se inspirará

A série é pura inspiração, do início ao fim, começando pela música de abertura. A determinação desenfreada de Leslie Knope e o Treat YoSelf de Donna e Tom farão você começar aquela dieta da segunda-feira.

gif5

giphy
6. Humor Inteligente

Isso era o que eu mais sentia falta nas séries. Trocadilhos com referências históricas e nerds e a crítica social humorada e sem ofensas de cunho pessoal fazem a série ser leve e gostosa de assistir.
gif6 (2)

gif6.1
7. É uma série família

É pessoal, sem peitinhos surpresa!(sorry guys). Pode assistir tranquilo com teus pais sem risco de rolar aquele desconforto.

gif7

Prontos para a maratona?

gif 8

Caso queiram entrar em contato comigo para dar sugestões para a coluna, ou até alguma crítica, meu twitter é o @likeavader!

Comentários

Populares

Topo