Colunas

Capina.mp3 #02 – Maestrick

Olá, meus queridos

Dando início a mais um maravilhouser Capina.mp3. Hoje vou falar sobre uma banda que eu não conhecia, mas me foi recomendado pelo Vinicius Tripode (nosso querido colunista do Capinaremos FC). É a banda Maestrick, que é uma banda de São José do Rio Preto em São Paulo e toca algo como um Metal Progressivo.

Resolução bosta porque é o que temos pra hoje 🙁

  • História

A banda deu início às suas atividades em 2006, com Fábio Caldeira (vocais e teclado), Renato Somera (vocal e baixo), Heitor Matos (bateria) e Paulo Pacheco (guitarra). Entretanto, eles lançaram seu primeiro álbum somente em 2011, intitulado “Unpuzzle! ”, que foi considerado um dos 10 melhores lançamentos de 2011 de acordo com o blog do Jornal Estadão.

Em 2013, o álbum de estreia foi lançado mundialmente. E ainda em 2013, eles ficaram entre as 10 bandas selecionadas no Desafio Monsters of Rock (sim, aquele festival foda pra caralho que tem no mundo inteiro). Eles planejam lançar um novo álbum neste ano de 2016.

 

  • Influências

Como eu nunca tinha ouvido os caras, tive um pouco de dificuldade em perceber referências. Na música “Aquarela”, por exemplo, dá pra se notar variações dentro do campo do Metal. Consegue-se perceber um Avante-garde Metal misturado com o Heavy Metal tradicional. No mais, consegui perceber a influência de bandas bastante influentes no cenário do metal como o Dream Theater e, trazendo pro campo nacional, o Angra. E, por mais improvável que seja, achei que uma música deles lembrava uma música do Avenged Sevenfold.

Agora, a música que mais me chamou a atenção foi “Pescador” devido a uma influência claríssima à ritmos nordestinos. No mais, eles tem um estilo bem próprio de tocar. Mas é bastante perceptível que eles gostam de “brincar” com estilos em suas músicas.

  • Minha opinião sobre:

Reforçando o que eu disse na última coluna, o rock brasileiro vem caindo bastante. E não é por falta de qualidade, e sim por falta de quem consuma. Dá pra perceber a qualidade musical dos integrantes e como o som sai limpo e unido nas performances ao vivo. Não agrada a todos, pois o Metal Progressivo tem pouquíssima “venda” no nosso país. A qualidade do som é inegável. O problema é o brasileiro que consome cada vez menos o rock. Mas, contra tudo e todos, o som da “Maestrick” é muito bom, superando minhas expectativas em relação à banda. Eu só achei algumas músicas muito longas (ouvi uma que tinha 21 minutos). Mas vale a pena ouvir.

 Avaliação:

3,5 WORMS ASSASSINADOS DE 5 TOTAIS ou 3 WORMS ASSASSINADOS E 1 PARCIALMENTE FERIDO

  • Músicas que você precisa ouvir:
  1. H.U.C.

    2.   Pescador:

    3.   Aquarela:

    Pelo que consegui ver, as performances ao vivo deles são bem…artísticas. Vale a pena conferir também.

  • Onde encontrar mais sobre:

Eles têm um site próprio, com bastante informação. Eles também tem um canal no Youtube, mas com pouco material. Tem mais bastidores do que música, mas se você quer dar uma olhada justamente nos bastidores, basta jogar Maestrick na pesquisa. À título de curiosidade, vou deixar a capa do álbum deles aqui embaixo (que tem uma arte bem foda, por sinal).

É isso, queridos e queridas. Lembrando a todos, aos domingos, a cada 15 dias, eu volto. Espero que vocês gostem, não me xinguem e nem ameacem minha família. Sugestões e críticas (positivas, de preferência 😀) são muitíssimo bem vindas aqui nos comentários e no e-mail [email protected]. Beijo na Bunda e até Segunda Domingo.

Valou Faleu

Por Pedro Henrique. 19 anos. Goiano de Goiânia. Futuro Engenheiro Civil e baterista de uma banda de rock desconhecida. Curte músicas que vão do pop rock mais leve ao heavy metal mais pesado. Só não é mais nerd por falta de dinheiro. Odeia escrever em terceira pessoa.

Comentários

Populares

Topo