Romanticamente Apocalíptico

Romanticamente Apocalíptico [140]

ra140g

snippyavatar4

“Eu sou um cientista e não um escavador de neve!” Ouvi o grito de Engie por trás da porta fechada. Seu sotaque soava vagamente familiar, mas estava muito abafado pela máscara de gás e porta para fazer algum sentido.

“ENVIE-ME UM EMAIL COM UMA QUEIXA FORMAL!” Capitão respondeu.

“E-mail?! Por quanto tempo você vai ficar me enrolarando? Não há mais e-mail, não há mais nada, olhe ao seu redor, idiota!” Engie gritou e bateu. Parecia que ele estava batendo com a pá no chão com raiva.

“VOCÊ PODE TAMBÉM ME DEIXAR UMA MENSAGEM NA CAIXA POSTAL!
DISQUE 9999 PARA DIREKTOR CAPITÃO. ”

“Preciso lembrá-lo: Não há telefones funcionando em lugar nenhum!” A raiva do temperamento de Engie ficou maior.
“Certamente, você não pode esperar que eu faça algo com uma pá de neve para acabar com o inverno nuclear! Eu não vou ficar cavando neve! Você não pode me obrigar!”

Engie deveria acalmar seus nervos. Ficar gritando e ser exigente não tem efeito nos argumentos contra o Capitão. Foi então que Engie começou a xingar e chamar de nomes o Capitão.
Eu ri e desci as escadas. Eu tinha coisas melhores a fazer com o meu tempo, como encontrar minha arma.

Enquanto eu estava fora, eu vi a cabeça do Capitão aparecer para fora da janela e gritar “PRÓXIMO!”

Eu olhei para cima. “Você quer que eu vá até aí?”

“NÃO SEGURE A FILA!” O Capitão concluiu, desaparecendo na janela.

Perguntei-me que fila poderia existir. O Piloto estava desaparecido. Photoshop provavelmente estava dormindo em algum lugar no banco de neve.
No caminho, eu quase colidi com Engie na escada que estava correndo como se para fugir de algo horrível. Ele estava murmurando alguma coisa sobre abelhas radioativas sob sua respiração.

“Eu ouvi você gritar com o Capitão lá dentro, eu sei que você pode falar, por que você nunca fala comigo?” Eu perguntei a ele.

Engie ignorou a minha pergunta e fugiu para baixo, como se cavar neve fosse a coisa mais importante no mundo agora. Perguntei brevemente por que Engie tinha medo de falar comigo e o que as abelhas radioativas tinham a ver com qualquer coisa.

“ENTRE” Capitão declarou quando me aproximei da porta com rabiscos “ZALA DE REUNIÕENS” nela.

Eu entrei.

“Bem, o que você quer que eu faça com esta espátula? Raspe as janelas de sua limusine, plante algumas petúnias lá atrás?” – perguntei, me aproximando do Capitão.

“SUA MISSÃO, SE VOCÊ ESCOLHER ACEITÁ-LA, É TERMINAR O INVERNO!”

“Você quer que eu termine o inverno com isso?” Agitei a espátula na frente do rosto do Capitão.
“Espere um minuto … Posso escolher não fazer esta missão. Eu recebo minha arma de volta depois?”

“CORRETOROMUNDO! VOCÊ NÃO TEM NECESSIDADE DE ARMAS, A ESPÁTULA É SUA NOVA MELHOR AMIGA, PRENDA-A A SEU BRAÇO-MACARRÃO E NÃO A DEIXE IR, ATÉ QUE A PRIMAVERA VENHA!”

Por um breve momento, na minha mente veio uma imagem:

Com um grito tribal, eu pulo em direção ao Capitão, portando uma espátula extremamente cega.
Meu cachecol, agora na minha espinha dorsal, me fornece uma força monstruosa para essa gloriosa missão.
Cheio de uma injeção de adrenalina súbita, minhas reações eram rápidas e sem perdão.
Com uma precisão inumana e maravilhosa eu corto a cabeça do Capitão fora, me livrando de uma infinita e irracional vontade.

Eu olho para a espátula na minha mão, daí olho para o Capitão, e de novo para a espátula.

Biomatrix, pare de me mostrar essas besteiras sem sentido.
Eu não matarei o Capitão. Não hoje.
Não. Nunca. Eu jamais matarei algum humano.
Mas é claro que o Capitão é humano!
…O que você quer dizer com isso?
Isso é nojento, caras!
Nós não somos “melhores amigos orgânicos”!
E eu não vou trocar a vida do Capitão por poder ilimitado em dezessete planetas!

Eu me concentrei no ambiente ao meu redor, terminando meu monólogo interno com meu cachecol. Capitão alegremente se balançou na frente de mim acenando sua caneca fumegante como se dirigindo uma orquestra invisível.

“Esta é a missão mais estúpida de todas, você sabe.” Eu disse.

“VOCÊ OBTERÁ UM AUMENTO DE SALÁRIO!” Capitão acenou a caneca para mim.

“Tampinhas de garrafa não são uma forma de pagamento! Eu quero minha arma de volta.”

“A ESPÁTULA APONTA O CAMINHO!” Capitão respondeu alegremente.

“Meu cachecol está me dizendo para te apunhalar com ela.” Eu resmunguei.

“TENTE, SE VOCÊ DEVE… MAS ELA NÃO É MUITO AFIADA” Capitão declarou.

Eu desisti. Eu não iria pegar minha arma de volta nunca.

AGRADECIMENTOS:

Alexius, pela sua brilhante criação;
Aos apoiadores do Capinaremos, que atingiram a meta para o retorno do RA;
Eu, pela tradução do texto deste capítulo.

Comentários

Populares

Topo