Colunas

Side Quest Review: Um retorno digno em Animais Fantásticos e Onde Habitam (sem spoilers)

A saga Harry Potter chegou ao fim lá no longínquo ano de 2011. Os fãs da série ficaram órfãos nos cinemas e o esforço dos estúdios para ocupar esse espaço foi quase insuportável. Pelo menos 3 vezes por ano, filmes baseados em livros infanto-juvenis chegaram às telonas para capturar a audiência deixada pela obra de J. K. Rowling, alguns com imenso sucesso, como a franquia Jogos Vorazes, mas sem a mesma magia. Quatro anos depois, Animais Fantásticos

e Onde Habitam voltou para mostrar que quem é rei nunca perde a majestade e honrar o legado da saga.

Mais do que isso, oferecer um olhar completamente novo e se tornar, talvez, um dos melhores filmes do universo bruxo nos cinemas.  Confere a review SEM spoilers:

BANNER HP

A review continua!

Animais Fantásticos cria uma história a partir de um livro-enciclopédia e, para ser o mais verossímil com o universo, ninguém melhor que a escritora para assumir o papel de roteirista. Com ela, o diretor dos últimos quatro filmes da saga original, David Yates, reassume a batuta para trazer um olhar mais realista mas ao mesmo tempo mágico a esses novos personagens.

animais

Digam o que quiserem de David Yates, mas o cara tem uma qualidade técnica inquestionável. Sabe usar muito bem os efeitos especiais, dirigir os atores de forma natural e, ao mesmo tempo, com todos os trejeitos característicos do mundo mágico e uma bela fotografia. Em Animais, Yates fugiu do erro de converter um filme para 3D, como aconteceu em Relíquias Parte 2, e soube usar os efeitos de profundidade com maestria. Em IMAX, os animais quase tocam o rosto do espectador, tamanha à imersão.

eddie

Mas é a união do talento quase perfeccionista do diretor com a história sensível de J.K., que tem todas as metáforas sobre homossexualidade, repressão e segregação, que dão ao filme seu toque único. Os personagens são quase imediatamente amáveis. O novo trio de protagonistas tem personalidade própria e cativam o espectador em pouco mais de 2h10. Para quem pensou que seria difícil deixar Harry-Rony-Hermione, após Animais, não fica tão difícil relevar o trio original. Newt, em especial, é um personagem completamente diferente de Harry Potter. É exímio nas artes mágica, mas com um certo “Q” de estranheza. Tem uma paixão por seus animais e trejeitos que ninguém menos que Eddie Redmayne poderia emular.

Animais sobrevive também sem ficar autoreferenciando Harry Potter. Tem sutis menções mas se foca em ter sua própria história e isso que o destaca. Não é à toa que ao final da sessão, em apenas um filme, já sentimos saudades dos personagens e mal podemos esperar para as próximas quatro continuações que vem por aí.

Comentários

Populares

Topo