Ninguém Lê Colunas

Projeções de Divisão da NFL: NFC EAST e NFC NORTH

Salve galera! Tamo aqui pra mais duas análises de divisão da NFL. E dessa vez vamos abordar os times de duas das mais disputadas divisões da Liga Nacional: a NFC East e a NFC North

 

CONFERE AÍ!

 

NFC EAST

O que é o time do Dallas Cowboys? Essa pergunta parece mais fácil do que realmente é. Que Dak Prescott, e que Ezekiel Elliott estarão em campo em 2018?

Existe uma nuvem de insegurança que paira sobre o time de Arligton: uma linha ofensiva boa o bastante, e um baita Running Back, mas com um QB que precisa se provar jogando sem Jason Witten. Dez Bryant saiu, e seu melhor recebedor deve ser o recém-chegado Allen Hurns.

A defesa é bem verdade que se reforçou, e a adição de Leighton Vander Esch na primeira rodada do draft foi uma bela escolha pra fazer um dobradinha de linebackers bem física com Sean Lee. Ainda assim, falta aquele defensive end pra acachapar o Quarterback adversário.

É verdade que fui bem pessimista na minha análise, mas por mais que o time possa ir melhor do que ela, não tem como prever playoffs para os Cowboys nesse momento.

Dallas Cowboys em 2018: 4-12

No primeiro post dessa série sobre as análises de divisão, eu falei que havia um grande ponto de interrogação sobre a cidade de New York. E não é para menos. O New York Giants não é só um navio. É um Titanic de incertezas.

Para tentar realizarmos uma análise, vamos pensar positivo: a defesa dos Giants é boa, o ataque tem um belo grupo de recebedores recuperado de lesão, e, ao que tudo indica (depois do idiota do McAdoo ter saído) os Giants vão correr com a bola. Parece pouco, mas pra vocês terem uma ideia, desde que eu acompanho a NFL, eu jamais tinha visto isso acontecer. Ainda mais depois da adição de Saquon Barkley, o melhor ou um dos melhores prospects do último draft e da contratação de Jonathan Stewart, que teve uma boa carreira em Carolina e deve revezar carregadas com o calouro vindo de Penn State.

O enigma desse ano fica por conta de Eli Manning. De um lado, um novo plano de jogo pode ajudar o veterano a render mais, de outro, o vencedor de dois Vince Lombard pode estar girando em uma espiral para baixo, comum para jogadores que estão próximos de terminarem suas carreiras. Os Giants draftaram o ótimo, mas inexperiente Kyle Lauletta, um jogador consistente no College, mas em uma divisão menor, com jogos teoricamente mais fáceis.

Tudo pode acontecer com o time do lado azul de Nova York, e minha prospecção é baseada na disfuncionalidade que aconteceu por lá no ano passado.

New York Giants em 2018: 7-9

O melhor time da divisão, o melhor time da NFC e quem sabe o melhor de toda a NFL. Doug Peterson é um treinador fantástico, bem como a equipe que tem em mãos. Com um ataque sólido, um revezamento incrível de Running Backs e pass rush magnífico, a equipe do estado da Pensilvânia não parece que vá ter problemas com ressaca na temporada logo após a vitória no Super Bowl 52.

Visto que o time agora é o mais visado da liga, talvez os Eagles precisem pensar em 3 aspectos para corrigir, mas que estão longes de serem ruins também: a secundária precisa de mais profundidade, falta aquele linebacker parrudo e o grupo de recebedores pode ficar sem Alshon Jeffery para esta temporada.

No mais, tenhamos bom senso: a gente sabe que Nick Foles foi fantástico, principalmente contra os Vikings na final da NFC e no Super Bowl, mas Carson Wentz é o titular.

Não tem como ser pessimista com esse puta time.

Philadelphia Eagles em 2018: 12-4

Um time bom, mas jovem. Esse é o resumo dos Redskins. Com uma secundária meia boca e um grupo de recebedores que fica aquém do esperado, a equipe da capital surpreenderia, e muito, se fosse para os playoffs, ainda mais depois da perda do novato de LSU Darrius Guice, que vai ficar o ano inteiro fora por conta de um rompimento no ligamento cruzado anterior de um dos seus joelhos.  Somando-se a isso, lá vai uma opinião que eu tenho que é bem impopular: o kicker Dustin Hopkins é bem ruim, e um time pode tanto ganhar, quanto perder jogos por conta do seu special team.

Mas calma, nem tudo é terra arrasada para a franquia de Daniel Snyder: e defesa deve melhorar depois do fiasco da contra o jogo corrido em 2017, pois andou draftando muito bem. Além do mais, apesar da perda citada acima, o jogo corrido é muito interessante viu?! Ainda falando sobre o ataque, Alex Smith e Jordan Reed (desde que não se machuque) podem ser uma dupla bem barulhenta. Smith protege bem a bola, e gosta muito de Tight Ends, visto a dobradinha que formou nos Chiefs com Travis Kelce.

Pra essa temporada os Redskins talvez sejam coadjuvantes, mas porque não imagina-los indo além no futuro?

Washington Redskins em 2018: 5-11

 

NFC NORTH

Da água para o vinho: essa é a mudança do Chicago Bears para 2018. A franquia que se caracterizava por perder jogos sem causar grande dificuldade para os adversários parece ter entrado no prumo. Finalmente a equipe de Illinois deve voltar a ser competitiva, pois usou bem o draft e contratou de forma inteligente no período de Free Agency, quando trouxe o melhor jogador ofensivo diponível para atuar no seu corpo de recebedores: Allen Robinson.

A dúvida fica quando falamos em Mitchell Trubisky. Sua titularidade é garantida, mas como ele vai jogar? Será que ele está preparado para ser o número 10 de um time tão tradicional? Esperamos que sim, porque o bom rendimento dos Bears é extremamente dependente de seu braço. As peças estão aí, agora é contigo, filhão.

De qualquer forma, não dá para colocar os Bears na post season em uma divisão tão forte.

Chicago Bears em 2018: 7-9

O Detroit Lions é um time pra lá de subestimado. Matthew Stafford é um QB que mantém uma boa regularidade, e finalmente, de uma vez por todas, a equipe de Michigan sinaliza que vai correr com a bola.

Se pegarmos o retrospecto recente da franquia, vamos ver um time que muito tentou em 2017, mas que não conseguiu jogar tudo o que podia. Agora, se pararmos para pensar em 2016, Stafford foi brilhante, principalmente no quarto período.

No mais, é um time bem montadinho, ok?! A secundária é interessante, bem como o restante da defesa e o grupo de recebedores e de Tight Ends é show de bola. Vai ser muito difícil receber os Lions ou visitar o Ford Field em 2018, pois a equipe não deve vender vitórias fáceis aos adversários.

De qualquer forma, existem duas grandes forças nesta que é a divisão mais disputada da liga, e os Lions parecem não ter bala na agulha para combatê-las.

Detroit Lions em 2018: 7-9

VAI TER MUITO AARON RODGERS. VAI TER AARON RODGERS PRA CARALHO. O melhor, não maior (leia sobre isso clicando aqui) quarterback da liga está 100% recuperado da lesão no ombro que o fez perder toda a temporada de 2017, e deve novamente, colocar esse time dos Packers (que ainda é bem mais ou menos) nas pós temporada. Isso porque a franquia do gélido estado de Wiscosin é totalmente dependente do camisa 12, visto que na última season Brett Hundley foi ridículo. Mas não é só isso: a comissão técnica precisa de Rodgers, que parece, mesmo estando dentro de campo, ser melhor do que Mike McCarthy, o head coach meia boca que fica ali, na side line do time.

No mais, a defesa deve jogar melhor. Peças foram trazidas pra o já velho Clay Matthews tentar render como em seus anos de calouro, e a secundária até que deve dar um calor nos recebedores adversários.

O grupo de Wide receivers sofreu a baixa de Jordy Nelson, que além de ser o jogador que mais recebeu passes de Aaron Rodgers durante a carreira, também é seu amigo pessoal. Mas a volta de Ty Montgomery, que não se sabe se será RB ou WR e a vinda de Jimmy Graham podem suprir esta falta.

Os Packers devem ir para os playoffs.

 Green Bay Packers: 10-6

Existe um cara muito chato em rodas de amigos quando o assunto é Minnesota Vikings: eu simplesmente amo esse time. O que dizer do que Mike Zimmer conseguiu fazer para a equipe de Minneapolis?!

Uma das melhores franquias do ano passado, os Vikings podem novamente estar no topo da NFL, indo até mais longe do que muita gente imagina: não é surpresa nenhuma caso esta equipe esteja na belíssima e novíssima Mercedez-Benz Arena, no dia 03/02/2019, na cidade de Atlanta, no estado da Georgia para disputar o Super Bowl.

Sério, não tem o que pontuar negativamente nesse timaço. Talvez a saída de Jerrick McKinnon, mas aí tem o Delvin Cook que se ficar saudável pode decidir jogos.

De resto, o corpo de recebedores é muito bom, Kirk Cousins foi adicionado e essa defesa… Jesus amado, é simplesmente foda, a melhor da conferência e uma das melhores da NFL.

O Minnesota Vikings deve ser fatal.

Minnesota Vikings: 11-5

 

E aí, tem algum comentário pra fazer? Sentiu que faltou algo? Deixa aí nos comentários. Não deixe de conferir os textos anteriores:

AFC EAST e AFC NORTH

AFC SOUTH e AFC WEST

NFC SOUTH e NFC WEST

Tamo junto!

Comentários

Populares

Topo