• Top 20

    Top 20 #1

    20 razões porque você ainda é solteiro:

    1. Faz corninhos em fotos de casamento.
    2. Possui um calendário com bebês vestidos de cowboys.
    3. Mantém um diário de seus sonhos.
    4. É presidente de um Fã Clube.
    5. Conversa com anjos.
    6. Já disse a frase: “Isso é tããão Sagitário!
    7. Usa emoticons na sua escrita à mão.
    8. Posou sem camisa no Orkut.
    9. Tem mais de zero bichinhos de pelúcia no quarto.
    10. Já escreveu poesia na mesa de um cyber café.
    11. Tem um livro de ‘Sudoku’ do lado da cama.
    12. Se diz um vegetariano.
    13. Fez um site em homenagem a um animal de estimação morto, a tempos.
    14. Cria Iguanas.
    15. Tem um adesivo do ‘Calvin Mijando.’
    16. Acredita que a sua boca é ‘Auto-limpante’,
    17. Usa roupas apertadas de ginástica.
    18. É gay enquanto bêbado.
    19. Grita as respostas do ‘Show do Milhão’.
    20. Dorme em lençóis dos Smurf’s.
  • The Imortal's

    The Imortal’s #1


    Hélio dos Passos – Um Romântico por Natureza

    Como já dizia aquele filme antigo, ‘Os Brutos Também Amam’, e Hélio, com todo seu gingado e cantadas que deixam as mulheres doidinhas, é com certeza, um imortal.

    É uma nova categoria, e ninguém melhor para começá-la do que o homem que criou hits, como ‘Fica Comigo Agora’ e ‘Morena do Rio Turvo’. Músicas que vem embalando as festas, encontros, rádios, restaurantes, butecos, batizados… enfim em todo Brasil, e porque não no mundo, Hélio dos Passos já virou um icone universal.

    Natural de Caseiros (RS), ele é um dos nossos, gente da nossa gente, um capinador. Resolveu largar a vida suada de operário para gravar um CD/DVD e caiu nas graças da população. Hoje sua agenda anda lotada e seus shows lotam os estadios de futebol. É um fenomêno.

    Então prestamos a ele nosso tributo, imortalizando-o em nosso humilde blog.

    Confira aqui, um dos grandes sucessos dele, do rei, Hélio dos Passos:

    Site Oficial.

    E até uma próxima imortalização.

  • Ah Vai Carpi Milho

    Ah, Vai Carpi Milho #1

    Se não forem parentes, são amigos.

    Assaltante manda vítima trocar nota de US$ 10 para roubar só US$ 4

    “Um ladrão armado com uma faca recusou-se a pegar US$ 10 (cerca de R$ 20) de sua vítima. Ele disse que precisava apenas de 4 dólares — e, por isso, ficou esperando o assaltado trocar sua nota de 10 em uma pizzaria. O assalto bizarro aconteceu em Nova York, nos Estados Unidos.
    […] Sua advogada, Arlene Popkin, recusou-se a fazer qualquer comentário.”
    _______________
    Depois português é que é burro:
    a-O Ladrão, lógico.
    b-O Assaltado, de fato, foi trocar a nota. Sim ele entrou na piazzaria e trocou, para, depois sair e ‘ser assaltado’.

    Pessoal, sempre andem com troco, evita um constrangimento para o assaltante, ok?

    Daqui

  • Papo Sério

    Cotas = Racismo?

    Não podemos falar de cotas sem falar em racismo. Elas são uma nova forma de inferiorizar os negros, que sofrem desse mal desde a época da escravidão. Nesse período eram eles que sustentavam nossa economia através de todo trabalho braçal, eram à base de uma pirâmide cujo topo era os nobres brancos, senhores feudais, latifundiários portugueses.

    Hoje, há décadas da lei que aboliu a escravidão, ainda existem os traços desse passado nebuloso. Os negros vêm ganhando seu espaço na sociedade, disputam com certa igualdade as vagas de trabalho e entram nas universidades, desproporcionalmente, é verdade, mas ainda assim apresentam um avanço.

    Seguindo essa linha, podemos afirmar que seria injusto contra um negro que estudou tanto quanto ou mais que um branco e conseguiria entrar na universidade por conta própria. Seria como dizer que eles são mais ignorantes e despreparados que os outros, o que nem sempre é verdade. Se o sistema fosse apenas focado em pessoas de baixa renda, que só estudaram nas nossas precárias escolas públicas, a justiça seria aplicada. No entanto, generalizar a cor da pele de uma pessoa com uma condição de pobreza é racismo.

    Pode-se considerar o sistema de cotas uma maneira de amenizar as diferenças sociais brasileiras. Algo, até certo ponto, correto e até mesmo louvável, mas visto com um olhar desconfiado pelos críticos. Tendo como base outros países desenvolvidos ou até mesmo em desenvolvimento – como a China, por exemplo – vemos que nenhum implantou esse sistema. Pelo contrário, investiram pesado na educação de base, para que todos tivessem a mesma formação e preparação, chegando, portanto, no vestibular com condições iguais.

    Por isso, tudo leva a crer que esse sistema venha a ser provisório. Contando sempre com uma melhora gradativa na nossa educação e em uma não-acomodação por parte dos beneficiados, ou seja, que os negros não se prepararem menos para o vestibular e para vida só porque sabem que receberão sua vaga na universidade sem muito esforço. Um futuro, onde todos tenham as mesmas chances e oportunidades, pode não estar tão perto, mas certamente, com as famosas palavras ‘ordem e progresso’, não estará, também, muito longe.

Topo