• Capinaremos Recomenda

    Esqueça tudo o que você já aprendeu


    Você, já decorou a Barsa? Tem como livro de cabeceira o sr. Aurélio? Recebe em casa um exemplar da Veja, IstoÉ, Exame, SuperInteressante e Galileu? Fez Mestrado em história contemporânea? Então, meu amigo, esqueça tudo isso. Pois, tudo o que você aprendeu até agora estava completamente errado.

    Clique no batatão para visitar o site.

    O Capinaremos Recomenda #2 apresenta ninguém mais, ninguém menos, do que o lado negro das enciclopédias: a Desciclopédia. É, resumidamente, uma enciclopédia soviética. Por que, como vocês sabem, na URSS, são os livros que lêem vocês.

    Além de ser uma fonte quase inesgotável de bom-humor e artigos sem noção, a Desciclopédia, mesmo em toda sua ironia e sarcasmo, apresenta criticas a nossa sociedade atual e até a momentos históricos. Mas a maioria das coisas lá é pura bobagem mesmo.

    E quem vos fala aqui tem alguma credencial para fazê-lo. Eu costumava a ser um fervoroso editor e criador de artigos para o supracitado wiki. Artigos premiados e eternos como o de Walter Casagrande, Urban Ninja, La Playa del Pollo, entre outros, são de minha autoria. Para conferir todos é só pesquisar por Zanfa. Ou clicar ali, que eu linkei, claro.

    Porém, contudo, no entanto, entretanto, todavia, trata-se de um wiki, ou seja, todos podem editar tudo o que quiser, então não se surpreendam se caírem em um artigo meu e ele ser sem graça. Provavelmente algum bastardo o editou. Eu nunca faria algo sem graça.

    Se você desconfia que a sua professora de geografia não lê seus trabalhos, pesquise um na desciclopédia e mande para ela. Com certeza absoluta, sem duvida nenhuma, você irá tomar um zero bem redondo.

    Por isso, e por tantas outras coisas, o Capinaremos Recomenda intensamente a Desciclopédia. Só não comecem a criar artigos, porque vicia.

  • Videos

    Sunglasses – O Mundo de Outra Cor



    Vou propagandear aqui no blog, mas só pq é coisa boa.
    Festa, quem não curte não é?

    Bom, essa aqui é da galera de um colégio ai, tal de CNEC, aqui de Farroupilha. Estão fazendo a festa para angariar fundos para a sua formatura, que ocorrerá no final deste ano.
    Festa Sunglasses – O mundo de Outra Cor, na New Disco (o antigo Santa), começa as onze horas e vinte e dois minutos (?), não me perguntem o pq, estou apenas divulgando. Os ingressos podem ser adquiridos com a galera do terceiro ano do CNEC, na loja Drop’s de Menta e no Posto Benvenutti. Custarão R$10,00 antecipados e R$ 15,00 na hora.

    Detalhe importante da festa: OS 300 PRIMEIROS INGRESSOS GANHARÃO UM ÓCULOS COLORIDO.

    Taí ó, já arruma um esquemão*, tchê.

    *Sei lá como é no restante do país, mas aqui no Rio Grande do Sul, mais precisamente na Serra Gaúcha. Esquemão é quando o cara combina uma festa e já vai com a guria, sacaram?

  • Ah Vai Carpi Milho

    Boneca, time de Boneca


    Como a onda agora é zoar o time do Botafogo, nós, capinadores, não podemos ficar de fora.
    Tendo isso em vista, acabei por encontrar essa pérola no YouTube – aquele sitezinho que colocam vídeos e tal.
    P/ os preguiçosos eu vou dar uma breve explicação do que se trata: uma montagem em cima do filme “Tropa De Elite” – filminho esse que os brasileiros nem piratiaram, não é encontrado em qlquer esquina de uma cidade, para quem não mora em Farroupilha – sobre as amareladas do Botafogo ultimamente.

    Agora, uma salva de palmas aos torcedores do Botafogo pelo protesto que fizeram com calcinhas e pipocas no aeroporto, nem nós do blog teríamos pensado em algo tão genial (ou será que eu ia dizer genital…). O que teve de mulher indo trabalhar com a bichana livre aquele dia não foi brincadeira.

  • Top 20

    Top 20 #2

    20 coisas que aprendi com meu amigo colombiano:

    1. Ele não tem uma boa receita de tacos, salsa, ou qualquer outro prato estereotipo espanhol.
    2. Ele não conhece pessoalmente Juan Valdez.
    3. Juan Valdez não é uma pessoa de verdade.
    4. Colômbia e México não são o mesmo lugar.
    5. Colômbia e Cuba não são o mesmo lugar.
    6. Ele é da Colômbia, não Columbia.
    7. Ele não é parte Asteca.
    8. Ele não vive em medo que Fidel Castro o cace e leve ele de volta para casa.
    9. O Padre (Pai) dele não foi amigo de Che Guevara.
    10. Ele não venera Valderrama.
    11. Mexicano e Colombiano não são a mesma coisa.
    12. Ele nunca traficou frutas exóticas e/ou haxixe pela fronteira.
    13. Ele não possui um poncho.
    14. Ele não possui um sombreiro.
    15. Ele não gosta de ficar dançando nas esquinas com os já mencionados poncho e sombreiro.
    16. Ele nunca quis ser um Menudo.
    17. Ele não é um profissional em fazer charutos.
    18. Ele odeia quando você chama ele de “mano”. Também vale para “latino”, “sul-americano”, e “mexicano”.
    19. O L duplo em “Tortilla” é mudo.
    20. Ele não é mexicano.
  • WebGames

    WebGames #2

    Clique na imagem para jogar.

    Grow Island é um jogo bem interessante. Nele você tem algumas opções para evoluir a sua ilha. Seguindo uma linha lógica, ou não, você vai evoluindo as diversas funções possíveis. Essa foto ai em cima foi o máximo que eu consegui evoluir, não sei se tem como deixar todas no máximo.

    Se alguém conseguir me manda um tutorial.

  • Random

    Zorra Total

    Os soldados estavam cansados e sozinhos após várias semanas na guerra. Para entretê-los, o Major chamou um número erótico de um vilarejo próximo.

    Ela veio, dançou e quando a primeira dança acabou, os soldados ficaram malucos. Aplaudiram por 5 minutos.

    Para o seu segundo número, ela tirou a roupa e dançou de calcinha e sutiã. Essa vez o aplauso durou 10 minutos.

    No próximo número ela dançou topless, e o aplauso simplesmente não parou. O Major teve que ir até o palco e pedir silêncio para o grande final.

    Para a última dança, ela se despiu toda e dançou pelada. O Major estava esperando tanto barulho que o telhado viria abaixo. Mas dez minutos depois, não houve nenhum aplauso e a dançarina voltou para os bastidores. O Major perguntou a ela, “O que aconteceu? Como não houveram aplausos dessa vez?”

    Ela respondeu, “Major, como você quer que esses pobrezinhos aplaudam com uma mão?!!?”

    “Na mesma praça, no mesmo banco…”

Topo